3 BALDES DE ÁGUA GELADA PRA ESFRIAR A SEMANA POLÍTICA EM BRASÍLIA

Eunício Oliveira, presidente do Senado Federal. * Foto – Internet – terra.com

3 importantes decisões jogaram 3 baldes de água gelada para esfriar o clima político em Brasília: Eunício Oliveira é o novo presidente do Senado da República; o ministro Celso de Melo, em decisão monocrática, validou a candidatura de Rodrigo Maia a reeleição de presidente na Câmara dos Deputados, e por último, o próprio Supremo Tribunal Federal – STF, não decidiu, por sorteio ou outro método de escolha, quem é o ministro sucesso de Teori Zavascki, na relatoria dos processos da Operação Lava Jato.

Para completar, ainda tem mais uma de lambuja: o ministro Gimar Mendes pediu vistas no processo que define a possibilidade de réu poder constar na linha de sucessão presidencial.

O problema é que a situação anteriormente vivida por Renan Calheiros, agora poderá ser vivida pelo senador Eunício Oliveira, novo presidente do Senado, apontado como beneficiário das propinas apuradas na Operação Lava Jato, ainda sem comprovação oficial.

Vamos esperar que a quinta-feira seja melhor!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

CACIQUES QUEREM EUNÍCIO. INDEPENDENTES QUEREM JOSÉ MARANHÃO, GARIBALDI ALVES OU SIMONE TEBET

simone-senado

Simone tem a empatia da maioria dos senadores. * Foto – Internet – Senado.

garibaldi-g1-globo-com

Garibaldi é o nome para Cristovam Buarque, Lasier Martins e Wilder Moraes. * Foto – Internet – G1 – Globo.com.


maranhao-senado

José Maranhão foi lembrado pelo senador Álvaro Dias. * Foto – Internet – Senado.

Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) discursa em sessão especial para a entrega do Diploma José Ermírio de Moraes, concedido a empresários ou empresas que tenham contribuído para o desenvolvimento econômico e social do país

Eunício tem rejeição na maioria dos senadores. * Foto – Internet – Marcos Oliveira – Senado.

Nos bastidores do Senado, baseado em conversas particulares, embora sem segredo, está se consolidando um movimento contrário a candidatura do senador Eunício Oliveira, para a sucessão de Renan Calheiros, na presidência da casa.

Partido com a maior bancada na casa, cabe ao PMDB indicar o candidato a presidente.

O nome de José Maranhão, foi lembrado pelo senador Álvaro Dias, como alternativa à Eunício.

O senador Garibaldi Alves Filho teve seu nome lembrado pelos senadores Cristovam Buarque, Lasier Martins e Wilder Moraes, também como alternativa a Eunício.

A senadora Simone Tebet assiste o seu nome ganhar força, embora já tenha sido lembrada pelos seus colegas de senado desde o final do ano passado.

São 3 nomes – José Maranhão, Garibaldi Alves Filho e Simone Tebet, que conquistaram o respeito de muitos senadores.

O maior problema para o PMDB administrar é a rejeição ao nome de Eunício Oliveira, que tem perfil muito semelhante ao de Renan Calheiros.

Este é o problema: ambos tem uma imagem pública muito desgastada.

E os senadores querem uma alternativa que melhore a imagem do Senado, nunca que prejudique!

Cabe aos senadores, encontrar e optar pela melhor solução!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

 

SENADOR ÁLVARO DIAS QUER JOSÉ MARANHÃO NA PRESIDÊNCIA DO SENADO

 

ze-maranhao-foto-ailton-freitas-agencia-o-globo

* Foto – Internet: Ailton Freitas – Agência O Globo.

José Maranhão, senador paraibano, do PMDB, tem uma chance rara de ser o próximo presidente do Senado da República. Se depender da vontade do senador paranaense Álvaro Dias e de muitos outros senadores que não aceitam o nome do senador Eunício Oliveira, do PMDB cearense, escolhido por Renan Calheiros, atual presidente, do PMDB de Alagoas, como candidato à sua sucessão.

Álvaro Dias manifestou seu apoio ao senador José Maranhão, em discurso, onde agradeceu o tratamento que recebeu de Maranhão, na Comissão de Constituição e Justiça.

“Agradeço a forma como fui tratado nesta Comissão e a primazia que tive de relatar matérias importantes”, destacou.

Ele também ressaltou que José Maranhão sempre procurou administrar a CCJ com isenção, afirmando que ele agiu com parcimônia, imparcialidade, inteligência e muita elegância.

Álvaro Dias finalizou, dizendo que não tem nenhuma dúvida em afirmar, que José Maranhão: “ficaria muito bem na cadeira de Presidente do Senado Federal, a partir de fevereiro do próximo ano. Teria o nosso voto e o nosso apoio”, declarou.

Vários senadores saudaram Maranhão e alguns chegaram a lamentar que o regimento da Casa não permita a recondução do presidente da CCJ.

O paraibano foi saudado e teve seu trabalho elogiado pelos senadores Simone Tebet (PMDB/MS), Valdir Raupp (PMDB/RO), Alvaro Dias (PV/PR), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB/SP), José Agripino (DEM/RN), Antônio Anastasia (PSDB/MG), José Pimentel (PT/CE), Magno Malta (PR/ES), Randolfe Rodrigues (REDE/AP) e Gleisi Hoffmann (PT/PR).

Agradecendo, Maranhão informou que “A CCJ apreciou diversas matérias de relevante interesse nacional, mantendo elevada – mesmo em ano eleitoral – sua produtividade e contribuindo sobremaneira para a considerável produção do Senado. Com isso, a CCJ soube, mais uma vez, responder às demandas da sociedade”, disse.

Com José Maranhão na presidência, ao longo de 2016, a CCJ realizou 43 reuniões, apreciou 330 matérias relevantes e ainda realizou seis audiências públicas, mesmo no período mais turbulento do impeachment da ex-presidente Dilma: “Aqui nós temos os maiores cérebros do Senado da República, mas também temos homens e mulheres de bem, que souberam dar a sua contribuição para que a nossa legislação.”

São três, os motivos que colocam José Maranhão em condições de exercer a presidência do Senado, neste momento de crise: a experiência política, o respeito dos outros senadores e o respeito das autoridades do Poder Executivo e do Poder Judiciário.

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com