A VINGANÇA: DRAMA SOCIAL SEM PIEDADE

O ESCRITOR ANTONIO MELO SUPERA O JORNALISTA ANTONIO MELO. E PERCEBA QUE O JORNALISTA TEM UMA HISTÓRIA DE SUCESSO, COM PASSAGEM PELOS MAIORES JORNAIS E REVISTAS DO PAÍS.

OS 70 ANOS DE VIDA E OS 56 DE EXPERIÊNCIA LABORAL DO JORNALISTA, DO REDATOR DE PUBLICIDADE E TAMBÉM DO MARQUETEIRO POLÍTICO, ESTÃO, INTEIRINHAS, NAS ENTRELINHAS DO ROMANCE “A VINGANÇA”, PUBLICADO PELA Z EDITORA, QUE É UM RELATO CRUEL DO DRAMA SOCIAL QUE CARACTERIZA A DUREZA DA VIDA NO NORDESTE, POUCO DIFERENTE DO QUE SE VÊ EM OUTRAS REGIÕES DO BRASIL E TAMBÉM DOS OUTROS PAÍSES LATINOS AQUI NAS AMÉRICAS.

EMBORA ABORDADAS SEM PROFUNDIDADE FILOSÓFICA, AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO POVO ESTÃO NA PRIMEIRA E MUITO BEM ELABORADA FICÇÃO LITERÁRIA DE ANTONIO MELO.

OS COSTUMES SOCIAIS, A RELIGIOSIDADE, A POLÍTICA, A CORRUPÇÃO E OS NEGÓCIOS COM O DINHEIRO DO GOVERNO SAINDO DOS COFRES PÚBLICOS PARA FINANCIAR CAMPANHAS ELEITORAIS, GUERRILHAS URBANAS, PISTOLAGEM E PROSTITUIÇÃO, ESTÃO RELATADOS COM MAESTRIA PELO EXPERIENTE REPÓRTER.

UM DETALHE CHAMA A ATENÇÃO E, DE CARA, COLOCA O AUTOR ANTONIO MELO ENTRE OS MELHORES QUE JÁ ESCREVERAM SOBRE AS AGRURAS SOCIAIS DO NORDESTINO: O RELATO FIEL E CRUEL DA DURA REALIDADE VIVENCIADA NO DIA A DIA DA POPULAÇÃO DESASISTIDA.

OS QUE RECEBEM AS BENESSES E OS PRIVILÉGIOS DO GOVERNO, NA OBRA DE ANTONIO MELO, FAZEM O QUE PODEM E O QUE NÃO DEVERIAM FAZER PARA MANTER AS SUAS MAMATAS.

MATAM E MANDAM MATAR, COMO UMA ATITUDE BANAL E PARTE DA JUSTIFICADA E NECESSÁRIA LUTA PARA A MANUTENÇÃO DOS BENEFICIOS PROPORCIONADOS PELO DINHEIRO PÚBLICO, FONTE INESGOTÁVEL DE RECURSOS PARA UMA REGIÃO CUJA POPULAÇÃO, INFELIZMENTE, VIVE QUASE QUE TOTALMENTE DOS RECURSOS DO TESOURO PÚBLICO, DO GOVERNO.

DÓI, MACHUCA, MAS É REAL E TODO MUNDO SABE. SABE, SIM, MAS FAZ DE CONTA QUE NÃO EXISTE. ATÉ OS DIAS ATUAIS.

AS PERSONAGENS DO DRAMA “A VINGANÇA” E AS SUAS ESTÓRIAS, NO BOM LIVRO DE ANTONIO MELO, SÃO PURA FICÇÃO. MAS, BASTA UMA LEITURA MAIS REFLEXIVA PARA QUE A SEMELHANÇA COM PESSOAS E HISTÓRIAS REAIS COMECEM A SE MISTURAR NESSE DRAMA TERRÍVEL, ONDE REPITO, AS PERSONAGENS E AS ESTÓRIAS, EMBORA FICÇÃO, ACONTECEM NUM CENÁRIO REAL, BASEADO EM HISTÓRIAS REAIS.

É DURO, MAS É A REALIDADE NARRADA NA FICÇÃO!

RECOMENDO! BOA LEITURA!

É POR AÍ!…

A VINGANÇA: DRAMA SOCIAL SEM PIEDADE

O ESCRITOR ANTONIO MELO SUPERA O JORNALISTA ANTONIO MELO. E PERCEBA QUE O JORNALISTA TEM UMA HISTÓRIA DE SUCESSO, COM PASSAGEM PELOS MAIORES JORNAIS E REVISTAS DO PAÍS.

OS 70 ANOS DE VIDA E OS 56 DE EXPERIÊNCIA LABORAL DO JORNALISTA, DO REDATOR DE PUBLICIDADE E TAMBÉM DO MARQUETEIRO POLÍTICO, ESTÃO, INTEIRINHAS, NAS ENTRELINHAS DO ROMANCE “A VINGANÇA”, PUBLICADO PELA Z EDITORA, QUE É UM RELATO CRUEL DO DRAMA SOCIAL QUE CARACTERIZA A DUREZA DA VIDA NO NORDESTE, POUCO DIFERENTE DO QUE SE VÊ EM OUTRAS REGIÕES DO BRASIL E TAMBÉM DOS OUTROS PAÍSES LATINOS AQUI NAS AMÉRICAS.

EMBORA ABORDADAS SEM PROFUNDIDADE FILOSÓFICA, AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO POVO ESTÃO NA PRIMEIRA E MUITO BEM ELABORADA FICÇÃO LITERÁRIA DE ANTONIO MELO.

OS COSTUMES SOCIAIS, A RELIGIOSIDADE, A POLÍTICA, A CORRUPÇÃO E OS NEGÓCIOS COM O DINHEIRO DO GOVERNO SAINDO DOS COFRES PÚBLICOS PARA FINANCIAR CAMPANHAS ELEITORAIS, GUERRILHAS URBANAS, PISTOLAGEM E PROSTITUIÇÃO, ESTÃO RELATADOS COM MAESTRIA PELO EXPERIENTE REPÓRTER.

UM DETALHE CHAMA A ATENÇÃO E, DE CARA, COLOCA O AUTOR ANTONIO MELO ENTRE OS MELHORES QUE JÁ ESCREVERAM SOBRE AS AGRURAS SOCIAIS DO NORDESTINO: O RELATO FIEL E CRUEL DA DURA REALIDADE VIVENCIADA NO DIA A DIA DA POPULAÇÃO DESASISTIDA.

OS QUE RECEBEM AS BENESSES E OS PRIVILÉGIOS DO GOVERNO, NA OBRA DE ANTONIO MELO, FAZEM O QUE PODEM E O QUE NÃO DEVERIAM FAZER PARA MANTER AS SUAS MAMATAS.

MATAM E MANDAM MATAR, COMO UMA ATITUDE BANAL E PARTE DA JUSTIFICADA E NECESSÁRIA LUTA PARA A MANUTENÇÃO DOS BENEFICIOS PROPORCIONADOS PELO DINHEIRO PÚBLICO, FONTE INESGOTÁVEL DE RECURSOS PARA UMA REGIÃO CUJA POPULAÇÃO, INFELIZMENTE, VIVE QUASE QUE TOTALMENTE DOS RECURSOS DO TESOURO PÚBLICO, DO GOVERNO.

DÓI, MACHUCA, MAS É REAL E TODO MUNDO SABE. SABE, SIM, MAS FAZ DE CONTA QUE NÃO EXISTE. ATÉ OS DIAS ATUAIS.

AS PERSONAGENS DO DRAMA “A VINGANÇA” E AS SUAS ESTÓRIAS, NO BOM LIVRO DE ANTONIO MELO, SÃO PURA FICÇÃO. MAS, BASTA UMA LEITURA MAIS REFLEXIVA PARA QUE A SEMELHANÇA COM PESSOAS E HISTÓRIAS REAIS COMECEM A SE MISTURAR NESSE DRAMA TERRÍVEL, ONDE REPITO, AS PERSONAGENS E AS ESTÓRIAS, EMBORA FICÇÃO, ACONTECEM NUM CENÁRIO REAL, BASEADO EM HISTÓRIAS REAIS.

É DURO, MAS É A REALIDADE NARRADA NA FICÇÃO!

RECOMENDO! BOA LEITURA!

É POR AÍ!…

UMA BOA IMERSÃO NOS SEUS SENTIMENTOS

RECOMENDO, SEM RECEIOS, A LEITURA DO LIVRO DE CRÔNICAS “LEVANTA-TE E ANDA! – OUTRO OLHAR SOBRE CARÊNCIA E PLENITUDE, MEDO E REALIZAÇÃO”, QUE O JORNALISTA JOMAR MORAIS, PROFESSOR, ESCRITOR E ESTUDIOSO DAS TRADIÇÕES ESPIRITUAIS, E PORQUE NÃO DIZER, TAMBÉM RELIGIOSAS, DISPONIBILIZA AOS LEITORES E AMANTES DAS LETRAS, ATRAVÉS DO SELO SAPIENS EDITORA (2016)(www.sapienseditora.com.br), EDIÇÃO COMEMORATIVA DOS 15 ANOS DA SAPIENS.

JÁ LI E RELI VÁRIAS VEZES, PELO PRAZER QUE A SUA LEITURA PROVOCA, NUM SUCESSÃO DE INFORMAÇÕES, COMENTÁRIOS, ANÁLISES, REFERÊNCIAS A OUTROS ESCRITORES, A LÍDERES RELIGIOSOS, NOS LEVANDO MENTALMENTE A UMA VIAGEM POR LUGARES E TEMPOS DIFERENTES, ONDE VAMOS NOS APROFUNDAR, NUMA VERDADEIRA IMERSÃO, NOS NOSSOS PRÓPRIOS SENTIMENTOS.

JOMAR, AMIGO DE LONGA DATA, ACUMULA UMA EXPERIÊNCIA ADMIRÁVEL NO MUNDO DO JORNALISMO BRASILEIRO. PASSOU POR GRANDES REDAÇÕES, ASSUMIU CARGOS IMPORTANTES EM GRANDES JORNAIS E GRANDES REVISTAS.

MAS O LIVRO NÃO É SOBRE A SUA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL. É SOBRE A SUA BUSCA DO SABER, DO CONHECIMENTO, DO HUMANISMO QUE PARECE MEIO ESQUECIDO E PERDIDO NO MEIO DE TANTA TECNOLOGIA E QUASE NADA DE SENTIMENTOS.

DOS SENTIMENTOS HUMANOS, FOCA NO AMOR, A MAIOR VIRTUDE HUMANA, SEGUNDO O FILÓSOFO CONTEMPORÂNEO FRANCÊS ANDRÉ COMTE SPONVILLE.

GOSTEI TANTO, QUE O SEU LIVRO DEIXA DE SER UMA OBRA PARA SER LIDA UMA OU DUAS VEZES, PARA VIRAR FONTE DE CONSULTA E DE ALIMENTAÇÃO DO ESPÍRITO, ONDE ESTÃO, ENTRE OUTROS, PAUL VIRILLO E ANDRE COMTE SPONVILLE, JÁ CITADO AQUI.

O MELHOR DAS CRÔNICAS DE JOMAR MORAIS, É QUE ELE ACENDE A LUZ DA COMPREENSÃO, DA TOLERÂNCIA E DO PERDÃO, TÃO NECESSÁRIAS NOS DIAS ATUAIS DE INTOLERÂNCIA POLÍTICA, IDEOLÓGICA E SOCIAL, ESPECIALMENTE VERIFICADA NOS CANAIS DE COMUNICAÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS, COMO AS REDES SOCIAIS DA INTERNET E OS GRUPOS DE WHATSAPP NOS SMARTPHONES.

SUAS PALAVRAS SOAM COMO BOA MÚSICA AOS NOSSOS OUVIDOS.

BOA LEITURA!

É POR AÍ!…

P.S. VOCÊ TAMBÉM PODE ADQUIRIR O LIVRO NO ENDEREÇO DA ESTANTE VIRTUAL (www.estantevirtual.com.br/sapienseditora).

UMA BOA IMERSÃO NOS SEUS SENTIMENTOS

RECOMENDO, SEM RECEIOS, A LEITURA DO LIVRO DE CRÔNICAS “LEVANTA-TE E ANDA! – OUTRO OLHAR SOBRE CARÊNCIA E PLENITUDE, MEDO E REALIZAÇÃO”, QUE O JORNALISTA JOMAR MORAIS, PROFESSOR, ESCRITOR E ESTUDIOSO DAS TRADIÇÕES ESPIRITUAIS, E PORQUE NÃO DIZER, TAMBÉM RELIGIOSAS, DISPONIBILIZA AOS LEITORES E AMANTES DAS LETRAS, ATRAVÉS DO SELO SAPIENS EDITORA (2016)(www.sapienseditora.com.br), EDIÇÃO COMEMORATIVA DOS 15 ANOS DA SAPIENS.

JÁ LI E RELI VÁRIAS VEZES, PELO PRAZER QUE A SUA LEITURA PROVOCA, NUM SUCESSÃO DE INFORMAÇÕES, COMENTÁRIOS, ANÁLISES, REFERÊNCIAS A OUTROS ESCRITORES, A LÍDERES RELIGIOSOS, NOS LEVANDO MENTALMENTE A UMA VIAGEM POR LUGARES E TEMPOS DIFERENTES, ONDE VAMOS NOS APROFUNDAR, NUMA VERDADEIRA IMERSÃO, NOS NOSSOS PRÓPRIOS SENTIMENTOS.

JOMAR, AMIGO DE LONGA DATA, ACUMULA UMA EXPERIÊNCIA ADMIRÁVEL NO MUNDO DO JORNALISMO BRASILEIRO. PASSOU POR GRANDES REDAÇÕES, ASSUMIU CARGOS IMPORTANTES EM GRANDES JORNAIS E GRANDES REVISTAS.

MAS O LIVRO NÃO É SOBRE A SUA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL. É SOBRE A SUA BUSCA DO SABER, DO CONHECIMENTO, DO HUMANISMO QUE PARECE MEIO ESQUECIDO E PERDIDO NO MEIO DE TANTA TECNOLOGIA E QUASE NADA DE SENTIMENTOS.

DOS SENTIMENTOS HUMANOS, FOCA NO AMOR, A MAIOR VIRTUDE HUMANA, SEGUNDO O FILÓSOFO CONTEMPORÂNEO FRANCÊS ANDRÉ COMTE SPONVILLE.

GOSTEI TANTO, QUE O SEU LIVRO DEIXA DE SER UMA OBRA PARA SER LIDA UMA OU DUAS VEZES, PARA VIRAR FONTE DE CONSULTA E DE ALIMENTAÇÃO DO ESPÍRITO, ONDE ESTÃO, ENTRE OUTROS, PAUL VIRILLO E ANDRE COMTE SPONVILLE, JÁ CITADO AQUI.

O MELHOR DAS CRÔNICAS DE JOMAR MORAIS, É QUE ELE ACENDE A LUZ DA COMPREENSÃO, DA TOLERÂNCIA E DO PERDÃO, TÃO NECESSÁRIAS NOS DIAS ATUAIS DE INTOLERÂNCIA POLÍTICA, IDEOLÓGICA E SOCIAL, ESPECIALMENTE VERIFICADA NOS CANAIS DE COMUNICAÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS, COMO AS REDES SOCIAIS DA INTERNET E OS GRUPOS DE WHATSAPP NOS SMARTPHONES.

SUAS PALAVRAS SOAM COMO BOA MÚSICA AOS NOSSOS OUVIDOS.

BOA LEITURA!

É POR AÍ!…

P.S. VOCÊ TAMBÉM PODE ADQUIRIR O LIVRO NO ENDEREÇO DA ESTANTE VIRTUAL (www.estantevirtual.com.br/sapienseditora).

CARTAS (SEM RESPOSTAS) AO MORDOMO 1: MINHAS PREOCUPAÇÕES COM A CRISE

Senhor Mordomo, meus cumprimentos!

Desejo que o seu Natal com a sua família atual, Marcela e Michelzinho, tenha sido bom.

micheltemer-marcela-e-michelzinho-internet-bahia-economica

* Foto – Internet: Bahia Econômica.

Diferentemente do Natal de mais de 30 milhões de brasileiros que perderam o emprego nos últimos 3 anos, o seu deve ter sido melhor. Você, além de ganhar uma promoção no seu emprego, inclusive com aumento salarial, também tem todas as suas mordomias e despesas com casa, comida, roupa lavada, empregados domésticos, segurança, transporte (automóveis, motoristas, aviões e pilotos), água, energia, telefone, tv por assinatura e assinatura de jornais e revistas, pra você e sua família, pagas.

Todas as suas despesas são pagas com o dinheiro da Nação.

a-crise-no-brasil-uol

* Foto – Internet: UOL.

Daí a minha preocupação com a crise.

Se o governo insiste em gastar mal, com altos salários e mordomias absurdas, mesmo para um período normal (imagina na crise!), em pouco tempo o dinheiro do povo não vai mais poder pagar os seus salários e as suas mordomias.

Está na hora de mudar. Mudar radicalmente. Do jeito que está, não dá pra continuar!

Seja homem com H – agá maiúsculo, e corte as despesas do governo, no Poder Executivo, no Poder Legislativo e no Poder Judiciário.

Há gastos absurdos nas despesas, principalmente com altos salários e mordomias.

E você, Senhor Mordomo, sabe disso mais do que ninguém!

Por isso, o Senhor tem a obrigação de corrigir os erros, eliminando os excessos revoltantes.

Sem outros comentários, passar bem!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

QUANTA INOCÊNCIA NA ANÁLISE DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL!

Aos 55 anos de idade ninguém é velho! E nem os direitos de idoso conquistou ainda. Mas já tem a obrigação de ter sabedoria para entender o que é o mundo, compreender o planeta terra, os oceanos, mares, os continentes, os países, seus governos, as sociedades como funcionam e ter um mínimo de senso crítico para o que está acontecendo com a sua vida e a vida dos seus mais próximos.

Afunilando o raciocínio para a segurança pública nas cidades brasileiras, inevitável perceber, com o bom senso que informações e leitura conseguem passar, especialmente aos abnegados por leitura de livros, revistas, jornais, ouvintes de rádio e pastoradores de telejornais nas televisões, incluindo o infinito de liberdade de opinião que hoje está na internet, com seus blogs e seus sitios clasificados como mídias sociais, que o problema está nas cidades e não é causado por políticas dos administradores públicos municipais.

Não! Dessa vez, prefeitos e vereadores não tem nenhum culpa, mesmo que seus municípios tenham uma Guarda Municipal eficiente. Ou não.

Aliás, em que pese o Estado, dentro da República Brasileira, manter polícias civil, militar, de trânsito, Corpo de Bombeiros, patrimonial, também não deve ser o culpado pelos problemas da falta de segurança pública nas cidades. Nem o governador e nem os deputados estaduais.

Basta um olhar mais atento, mais minucioso, para se perceber que a política nacional de segurança pública é a maior responsável pela ausência de segurança pública nas cidades.

Os municípios nada podem fazer. Não legislam sobre isso. Os Estados também nada podem fazer, pois também não legislam sobre isso. Aliás, criam programas de proteção ao cidadão com o pouco que tem e usando muita criatividade sofista.

O cidadão, pasmem, foi desarmado pelo poder público, pelo poder de polícia do governo federal e dos governos estaduais, cumprindo uma legislação nacional, que não leva em conta nem as peculiaridades e diferenças da vida nas cidades e no campo.

Por isso o bandido, o criminoso, parece receber a proteção do Estado. Porque ele, o facínora, sabe que vai atacar usando as armas ilegais que tem, o pobre do coitado do cidadão que não pode possuir, nem portar e nem usar uma arma de fogo.

Assim fica mais fácil roubar, assaltar e matar. O bandido sabe que do outro lado, está um cidadão indefeso.

Jogar, nas redes sociais, a culpa dessa situação nos governantes estaduais e nos prefeitos, é pura inocência.

A culpa é da Presidência da República, do Ministério da Justiça, do Congresso Nacional e dos parlamentares federais que aprovaram e não sabem revogar, uma legislação que deixa os pobres dos cordeiros desarmados, à mercê da vontade criminosa dos lobos armados.

Quanta inocência dos que se arvoram de cobrar prefeitos e governadores por uma irresponsável falta de segurança pública, quando os culpados são outros.

É por aí!…