TEMOS SEGURANÇA HÍDRICA?

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 17-11-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, E O RESTO DO MUNDO, HOJE A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA VAI DAR UM IMPORTANTE E SIGNIFICATIVO PASSO AO REALIZAR, A PARTIR DAS 14 HORAS, A AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DISCUTIR “GESTÃO DAS ÁGUAS E SEGURANÇA HÍDRICA NAS REGIÕES NORTE E NORDESTE”, PROMOVIDA PELO SENADO FEDERAL. ESSA AÇÃO É PROPOSTA PELA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO (CRD), PRESIDIDA PELA SENADORA POTIGUAR FÁTIMA BEZERRA (PT). O DEBATE VAI REUNIR DEPUTADOS ESTADUAIS, PREFEITOS, VEREADORES E AUTORIDADES LOCAIS LIGADAS AO TEMA, ALÉM DE SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS. ESTÁ DE PARABÉNS O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA, DEPUTADO EZEQUIEL FERREIRA DE SOUSA, QUE VAI NACIONALIZAR ESSE ASSUNTO, O QUE SERÁ BOM PARA O RIO GRANDE DO NORTE, QUE PODERÁ BUSCAR SOLUÇÕES PARA OS GRAVES PROBLEMAS HÍDRICOS, OU A POPULAR FALTA DE ÁGUA, COM O APOIO DO GOVERNO FEDERAL. A SENADORA FÁTIMA BEZERRA, SEMPRE FALOU QUE APESAR DA RIQUEZA HÍDRICA DO TERRITÓRIO BRASILEIRO, O MITO DA ABUNDÂNCIA DAS ÁGUAS PRECISA SER SUPERADO E O TEMA DA SEGURANÇA HÍDRICA, PRINCIPALMENTE NAS ÁREAS QUE SÃO AFETADAS COM GRAVE ESCASSEZ, TORNA-SE VITAL PARA AS PESSOAS E PARA A ECONOMIA NUM CONTEXTO DE INCERTEZAS CLIMÁTICAS. ESSA SITUAÇÃO REQUER ATENÇÃO DESTACADA DOS ÓRGÃOS DO GOVERNO E DO PARLAMENTO BRASILEIRO, O QUE É INEGÁVEL. HÁ PERSPETIVAS DA PARTICIPAÇÃO DA SENADORA LÍDICE DA MATA, DO PSB DA BAHIA, E DO SENADOR HUMBERTO COSTA, DO PT DE PERNAMBUCO. O DEBATE ACONTECE NO AUDITÓRIO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA E É ABERTO À POPULAÇÃO. EU VOU LÁ, PORQUE ESSE ASSUNTO É MUITO IMPORTANTE E NÃO PODEMOS DEIXAR PASSAR EM BRANCO UMA OPORTUNIDADE COMO ESTA, DE APELAR POR MELHORES E MAIS EFICIENTES SOLUÇÕES PARA OS PROBLEMAS DA ESTIAGEM, QUE GERA INSEGURANÇA HÍDRICA. É ESSA A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

ASSISTA O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA – TV METROPOLITANO, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 7H30 ÀS 8H30, NO CANAL DIGITAL 23.1, DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE. NO CANAL 25, DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS PARA A REGIÃO OESTE.
NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ ASSISTE O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

TEMOS SEGURANÇA HÍDRICA?

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 17-11-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, E O RESTO DO MUNDO, HOJE A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA VAI DAR UM IMPORTANTE E SIGNIFICATIVO PASSO AO REALIZAR, A PARTIR DAS 14 HORAS, A AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DISCUTIR “GESTÃO DAS ÁGUAS E SEGURANÇA HÍDRICA NAS REGIÕES NORTE E NORDESTE”, PROMOVIDA PELO SENADO FEDERAL. ESSA AÇÃO É PROPOSTA PELA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO (CRD), PRESIDIDA PELA SENADORA POTIGUAR FÁTIMA BEZERRA (PT). O DEBATE VAI REUNIR DEPUTADOS ESTADUAIS, PREFEITOS, VEREADORES E AUTORIDADES LOCAIS LIGADAS AO TEMA, ALÉM DE SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS. ESTÁ DE PARABÉNS O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA, DEPUTADO EZEQUIEL FERREIRA DE SOUSA, QUE VAI NACIONALIZAR ESSE ASSUNTO, O QUE SERÁ BOM PARA O RIO GRANDE DO NORTE, QUE PODERÁ BUSCAR SOLUÇÕES PARA OS GRAVES PROBLEMAS HÍDRICOS, OU A POPULAR FALTA DE ÁGUA, COM O APOIO DO GOVERNO FEDERAL. A SENADORA FÁTIMA BEZERRA, SEMPRE FALOU QUE APESAR DA RIQUEZA HÍDRICA DO TERRITÓRIO BRASILEIRO, O MITO DA ABUNDÂNCIA DAS ÁGUAS PRECISA SER SUPERADO E O TEMA DA SEGURANÇA HÍDRICA, PRINCIPALMENTE NAS ÁREAS QUE SÃO AFETADAS COM GRAVE ESCASSEZ, TORNA-SE VITAL PARA AS PESSOAS E PARA A ECONOMIA NUM CONTEXTO DE INCERTEZAS CLIMÁTICAS. ESSA SITUAÇÃO REQUER ATENÇÃO DESTACADA DOS ÓRGÃOS DO GOVERNO E DO PARLAMENTO BRASILEIRO, O QUE É INEGÁVEL. HÁ PERSPETIVAS DA PARTICIPAÇÃO DA SENADORA LÍDICE DA MATA, DO PSB DA BAHIA, E DO SENADOR HUMBERTO COSTA, DO PT DE PERNAMBUCO. O DEBATE ACONTECE NO AUDITÓRIO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA E É ABERTO À POPULAÇÃO. EU VOU LÁ, PORQUE ESSE ASSUNTO É MUITO IMPORTANTE E NÃO PODEMOS DEIXAR PASSAR EM BRANCO UMA OPORTUNIDADE COMO ESTA, DE APELAR POR MELHORES E MAIS EFICIENTES SOLUÇÕES PARA OS PROBLEMAS DA ESTIAGEM, QUE GERA INSEGURANÇA HÍDRICA. É ESSA A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

ASSISTA O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA – TV METROPOLITANO, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 7H30 ÀS 8H30, NO CANAL DIGITAL 23.1, DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE. NO CANAL 25, DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS PARA A REGIÃO OESTE.
NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ ASSISTE O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

TODOS UNIDOS PELA SEGURANÇA

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 20-10-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, QUE O PROBLEMA DA VIOLÊNCIA URBANA É SERÍSSIMO, ISSO TODO MUNDO JÁ SABE. QUE OS GOVERNOS, SOZINHOS, NÃO TEM COMO COMBATER E VENCER ESSE PROBLEMA, ISSO TAMBÉM TODO MUNDO JÁ SABE, À EXEMPLO DO QUE ACONTECE NO RIO DE JANEIRO, PRATICAMENTE UMA GUERRA CIVIL. POR ISSO ESTÁ CORRETÍSSIMA A BANCADA FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, INCLUA AÍ OS 3 SENADORES – FÁTIMA BEZERRA (PT), GARIBALDI ALVES FILHO (PMDB) E JOSÉ AGRIPINO (DEMOCRATAS), E OS 8 DEPUTADOS FEDERAIS – ANTONIO JÁCOME (PODEMOS), BETO ROSADO (PP), FÁBIO FARIA (PSD), FELIPE MAIA (DEMOCRATAS), RAFAEL MOTTA PROS), ROGÉRIO MARINHO (PSDB), ZENAIDE MAIA (PR) E WALTER ALVES (PMDB), QUANDO APORTAM AO ORÇAMENTO DA UNIÃO DE 2018, RECURSOS PARA A SEGURANÇA PÚBLICA NO RIO GRANDE DO NORTE. TAMBÉM ESTÁ CERTO O GOVERNADOR ROBINSON FARIA, QUE CORREU ATRÁS DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA E CONSEGUIU APROVAÇÃO DE UM EMPRÉSTIMO DE QUASE 700 MILHÕES DE REAIS, QUE VÃO AJUDAR, SOBREMANEIRA A SEGURANÇA PÚBLICA. LOUVE-SE A ARTICULAÇÃO DO VICE GOVERNADOR FÁBIO DANTAS JUNTO AOS DEPUTADOS ESTADUAIS PARA CONSEGUIR ESSA APROVAÇÃO, COMO TAMBÉM O TRABALHO DA SECRETÁRIA SHEILA FREITAS, QUE TEM ATUADO MUITO BEM NA SEGURANÇA PÚBLICA, COM NÚMEROS MAISPOSITIVOS EM SUAS ESTATÍSTICAS MAIS RECENTES. AGORA A LUTA É COM A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, QUE POSSUI ALGUNS ÓBICES NA SUA BUROCRACIA PARA A LIBERAÇÃO DESSE DINHEIRO. AÍ VALE LEMBRAR QUE A BANCADA FEDERAL PODE PRESSIONAR O PRESIDENTE TEMER, PARA GARANTIR MAIS ESSE BENEFÍCIO AQUI PARA O ESTADO. É A MINHA MODESTA OPINIÃO! É POR AÍ!…

ASSISTA O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA – TV METROPOLITANO, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 7H30 ÀS 8H30, NO CANAL DIGITAL 23.1, DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE. NO CANAL 25, DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS PARA A REGIÃO OESTE.
NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ ASSISTE O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

OS NOMES PARA AS ELEIÇÕES DE 2018

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 13-10-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES VÃO ACONTECER DAQUI A MAIS OU MENOS UM ANO, MAS O MOVIMENTO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E DOS INTERESSADOS EM APRESENTAR CANDIDATURAS JÁ COMEÇOU. EMBORA O ASSUNTO ESTEJA PRESENTE EM TODAS AS REUNIÕES E RODAS DE CONVERSA, SÓ UM PARTIDO, O PSDC, JÁ DISCUTE OBJETIVA E DIRETAMENTE, COM OS SEUS FILIADOS, A APRESENTAÇÃO DE NOMES PARA SEREM OFICIALIZADOS EM CONVENÇÃO, NO MOMENTO PROPÍCIO, NO PRÓXIMO ANO. SÃO OS NOMES DA ADVOGADA E VEREADORA CLORISA LINHARES PARA O CARGO DE GOVERNADORA, E DO PROFESSOR JOANILSON DE PAULA RÊGO, PARA O SENADO DA REPÚBLICA. HÁ TAMBÉM NO PR E NO PMB, O MOVIMENTO QUE DESEJA A CANDIDATURA DA DEPUTADA FEDERAL ZENAIDE MAIA, AO SENADO DA REPÚBLICA, COMO NO PSDB SE FALA NA CANDIDATURA DO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, EZEQUIEL FERREIRA DE SOUZA COMO PRÉ CANDIDATO AO SENADO. É CLARO QUE EM ALGUNS PARTIDOS EXISTE A FIGURA DO CANDIDATO NATO, AQUELE QUE TEM O DIREITO DE PLEITEAR A CANDIDATURA OU O QUE SE ENCAIXA MELHOR NO PERFIL DE CANDIDATO. É O CASO DO PSD, QUE TEM NO GOVERNADOR ROBINSON FARIA, UM PROVÁVEL CANDIDATO À REELEIÇÃO. TAMBÉM É O CASO DO PT, QUE TEM NA SENADORA FÁTIMA BEZERRA, INEGAVELMENTE, O MELHOR NOME PARA DISPUTAR A INDICAÇÃO DO PARTIDO E O VOTO NAS URNAS. OUTROS PARTIDOS ESTÃO CHEIOS DE DÚVIDAS. É O CASO DO PMDB E TAMBÉM DO DEMOCRATAS. É A MINHA MODESTA OPINIÃO! É POR AÍ!…

ASSISTA O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 07H30M ÀS 08H30M, NA TV METROPOLITANO, CANAL DIGITAL 23.1, A PARTIR DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MAIS ALGUNS MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE.
NA REGIÃO OESTE, A PARTIR DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS, NO CANAL 25.
NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ PODE ASSISTIR O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE QUE ESTÁ PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

ALOYSIO NUNES SUBSTITUI JOSÉ SERRA NO MINISTÉRIO DE MICHEL TEMER

 Senador Aloysio Nunes Ferreira. * Foto – Internet – Michel Filho – O Globo

O senador Aloysio Nunes Ferreira é novo ministro das Relações Exteriores no governo Michel Temer.

Sucede o ex-ministro, também senador, José Serra, que deixou o cargo dias atrás, alegando problemas de saúde.

Indicado pelo PSDB, agora poderá colocar em prática a sua ideia de atuar mais na área de direitos humanos e fortalecer ao Mercosul, com o projeto já anunciado, de aproximar países da América do Sul, ao bloco da Aliança Para o Pacífico e da União Europeia.

Isso é bom para o Brasil!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

PRESSÃO POLÍTICA FAZ OSMAR SERRAGLIO MINISTRO DA JUSTIÇA NO GOVERNO TEMER

 Deputado Osmar Serraglio. * Foto – Internet – Gilvaldo Barbosa – Agência O Globo

O novo ministro da Justiça no governo Michel Temer, é o deputado federal paranaense Osmar Serraglio, do PMDB.

Substitui Alexandre de Moraes, que era indicado pelo PSDB.

Alexandre será o novo ministro no Supremo Tribunal Federal – STF, indicado pelo presidente Michel Temer e aprovado pelo Senado da República, como manda a Constituição do Brasil.

O PMDB esperneou para conseguir colocar mais um filiado no governo Temer. E conseguiu!

O novo ministro promete respeitar a Operação Lava Jato e não interferir nas investigações da Polícia Federal, de combate a corrupção no país.

Isso é bom para o Brasil!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

LAVA JATO AJUDA A DESMONTAR MECANISMO DE EXPLORAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA

José Padilha dirige filme sobre a Lava Jato. * Foto – Internet – Monica Imbuzeiro – Agência O Globo

Tese é defendida em texto que o jornalista e cineasta José Padilha, diretor de Tropa de Elite, publicou no Blog do Noblat / O Globo.

O texto de José Padilha foi compartilhado pelo procurador da República, Deltan Dallagnol, da Força Tarefa da Lava-Jato, em seu perfil do Facebook e ganhou vários compartilhamentos voluntários.

É uma análise sobre o “Mecanismo de Exploração da Sociedade Brasileira.”

“A importância da Lava-Jato Vinte e sete enunciados sobre a oportunidade de desmontar o mecanismo de exploração da sociedade brasileira.

1) Na base do sistema político brasileiro, opera um mecanismo de exploração da sociedade por quadrilhas formadas por fornecedores do Estado e grandes partidos políticos. (Em meu último artigo, intitulado Desobediência Civil, descrevi como este mecanismo exploratório opera. Adiante, me refiro a ele apenas como “o mecanismo”.)

2) O mecanismo opera em todas as esferas do setor público: no Legislativo, no Executivo, no governo federal, nos estados e nos municípios.

3) No Executivo, ele opera via superfaturamento de obras e de serviços prestados ao estado e às empresas estatais.

4) No Legislativo, ele opera via a formulação de legislações que dão vantagens indevidas a grupos empresariais dispostos a pagar por elas.

5) O mecanismo existe à revelia da ideologia.

6) O mecanismo viabilizou a eleição de todos os governos brasileiros desde a retomada das eleições diretas, sejam eles de esquerda ou de direita.

7) Foi o mecanismo quem elegeu o PMDB, o DEM, o PSDB e o PT. Foi o mecanismo quem elegeu José Sarney, Fernando Collor de Mello, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

8) No sistema político brasileiro, a ideologia está limitada pelo mecanismo: ela pode balizar políticas públicas, mas somente quando estas políticas não interferem com o funcionamento do mecanismo.

9) O mecanismo opera uma seleção: políticos que não aderem a ele têm poucos recursos para fazer campanhas eleitorais e raramente são eleitos.

10) A seleção operada pelo mecanismo é ética e moral: políticos que têm valores incompatíveis com a corrupção tendem a ser eliminados do sistema político brasileiro pelo mecanismo.

11) O mecanismo impõe uma barreira para a entrada de pessoas inteligentes e honestas na política nacional, posto que as pessoas inteligentes entendem como ele funciona e as pessoas honestas não o aceitam.

12) A maioria dos políticos brasileiros tem baixos padrões morais e éticos. (Não se sabe se isto decorre do mecanismo, ou se o mecanismo decorre disto. Sabe-se, todavia, que na vigência do mecanismo este sempre será o caso.)

13) A administração pública brasileira se constitui a partir de acordos relativos a repartição dos recursos desviados pelo mecanismo.

14) Um político que chega ao poder pode fazer mudanças administrativas no país, mas somente quando estas mudanças não colocam em xeque o funcionamento do mecanismo.

15) Um político honesto que porventura chegue ao poder e tente fazer mudanças administrativas e legais que vão contra o mecanismo terá contra ele a maioria dos membros da sua classe.

16) A eficiência e a transparência estão em contradição com o mecanismo.

17) Resulta daí que na vigência do mecanismo o Estado brasileiro jamais poderá ser eficiente no controle dos gastos públicos.

18) As políticas econômicas e as práticas administrativas que levam ao crescimento econômico sustentável são, portanto, incompatíveis com o mecanismo, que tende a gerar um estado cronicamente deficitário.

19) Embora o mecanismo não possa conviver com um Estado eficiente, ele também não pode deixar o Estado falir. Se o Estado falir o mecanismo morre.

20) A combinação destes dois fatores faz com que a economia brasileira tenha períodos de crescimento baixos, seguidos de crise fiscal, seguidos de ajustes que visam conter os gastos públicos, seguidos de novos períodos de crescimento baixo, seguidos de nova crise fiscal…

21) Como as leis são feitas por congressistas corruptos, e os magistrados das cortes superiores são indicados por políticos eleitos pelo mecanismo, é natural que tanto a lei quanto os magistrados das instâncias superiores tendam a ser lenientes com a corrupção. (Pense no foro privilegiado. Pense no fato de que apesar de mais de 500 parlamentares terem sido investigados pelo STF desde 1998, a primeira condenação só tenha ocorrido em 2010.)

22) A operação Lava-Jato só foi possível por causa de uma conjunção improvável de fatores: um governo extremamente incompetente e fragilizado diante da derrocada econômica que causou, uma bobeada do parlamento que não percebeu que a legislação que operacionalizou a delação premiada era incompatível com o mecanismo, e o fato de que uma investigação potencialmente explosiva caiu nas mãos de uma equipe de investigadores, procuradores e de juízes, rígida, competente e com bastante sorte.

23) Não é certo que a Lava-Jato vai promover o desmonte do mecanismo. As forças politicas e jurídicas contrárias são significativas.

24) O Brasil atual está sendo administrado por um grupo de políticos especializados em operar o mecanismo, e que quer mantê-lo funcionando.

25) O desmonte definitivo do mecanismo é mais importante para o Brasil do que a estabilidade econômica de curto prazo.

26) Sem forte mobilização popular, é improvável que a Lava-Jato promova o desmonte do mecanismo.

27) Se o desmonte do mecanismo não decorrer da Lava-Jato, os políticos vão alterar a lei, e o Brasil terá que conviver com o mecanismo por um longo tempo.”

Ótimas as percepções de José Padilha sobre a realidade brasileira!

Isso é bom para o Brasil!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

LAVA JATO AJUDA A DESMONTAR MECANISMO DE EXPLORAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA

José Padilha dirige filme sobre a Lava Jato. * Foto – Internet – Monica Imbuzeiro – Agência O Globo

Tese é defendida em texto que o jornalista e cineasta José Padilha, diretor de Tropa de Elite, publicou no Blog do Noblat / O Globo.

O texto de José Padilha foi compartilhado pelo procurador da República, Deltan Dallagnol, da Força Tarefa da Lava-Jato, em seu perfil do Facebook e ganhou vários compartilhamentos voluntários.

É uma análise sobre o “Mecanismo de Exploração da Sociedade Brasileira.”

“A importância da Lava-Jato Vinte e sete enunciados sobre a oportunidade de desmontar o mecanismo de exploração da sociedade brasileira.

1) Na base do sistema político brasileiro, opera um mecanismo de exploração da sociedade por quadrilhas formadas por fornecedores do Estado e grandes partidos políticos. (Em meu último artigo, intitulado Desobediência Civil, descrevi como este mecanismo exploratório opera. Adiante, me refiro a ele apenas como “o mecanismo”.)

2) O mecanismo opera em todas as esferas do setor público: no Legislativo, no Executivo, no governo federal, nos estados e nos municípios.

3) No Executivo, ele opera via superfaturamento de obras e de serviços prestados ao estado e às empresas estatais.

4) No Legislativo, ele opera via a formulação de legislações que dão vantagens indevidas a grupos empresariais dispostos a pagar por elas.

5) O mecanismo existe à revelia da ideologia.

6) O mecanismo viabilizou a eleição de todos os governos brasileiros desde a retomada das eleições diretas, sejam eles de esquerda ou de direita.

7) Foi o mecanismo quem elegeu o PMDB, o DEM, o PSDB e o PT. Foi o mecanismo quem elegeu José Sarney, Fernando Collor de Mello, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

8) No sistema político brasileiro, a ideologia está limitada pelo mecanismo: ela pode balizar políticas públicas, mas somente quando estas políticas não interferem com o funcionamento do mecanismo.

9) O mecanismo opera uma seleção: políticos que não aderem a ele têm poucos recursos para fazer campanhas eleitorais e raramente são eleitos.

10) A seleção operada pelo mecanismo é ética e moral: políticos que têm valores incompatíveis com a corrupção tendem a ser eliminados do sistema político brasileiro pelo mecanismo.

11) O mecanismo impõe uma barreira para a entrada de pessoas inteligentes e honestas na política nacional, posto que as pessoas inteligentes entendem como ele funciona e as pessoas honestas não o aceitam.

12) A maioria dos políticos brasileiros tem baixos padrões morais e éticos. (Não se sabe se isto decorre do mecanismo, ou se o mecanismo decorre disto. Sabe-se, todavia, que na vigência do mecanismo este sempre será o caso.)

13) A administração pública brasileira se constitui a partir de acordos relativos a repartição dos recursos desviados pelo mecanismo.

14) Um político que chega ao poder pode fazer mudanças administrativas no país, mas somente quando estas mudanças não colocam em xeque o funcionamento do mecanismo.

15) Um político honesto que porventura chegue ao poder e tente fazer mudanças administrativas e legais que vão contra o mecanismo terá contra ele a maioria dos membros da sua classe.

16) A eficiência e a transparência estão em contradição com o mecanismo.

17) Resulta daí que na vigência do mecanismo o Estado brasileiro jamais poderá ser eficiente no controle dos gastos públicos.

18) As políticas econômicas e as práticas administrativas que levam ao crescimento econômico sustentável são, portanto, incompatíveis com o mecanismo, que tende a gerar um estado cronicamente deficitário.

19) Embora o mecanismo não possa conviver com um Estado eficiente, ele também não pode deixar o Estado falir. Se o Estado falir o mecanismo morre.

20) A combinação destes dois fatores faz com que a economia brasileira tenha períodos de crescimento baixos, seguidos de crise fiscal, seguidos de ajustes que visam conter os gastos públicos, seguidos de novos períodos de crescimento baixo, seguidos de nova crise fiscal…

21) Como as leis são feitas por congressistas corruptos, e os magistrados das cortes superiores são indicados por políticos eleitos pelo mecanismo, é natural que tanto a lei quanto os magistrados das instâncias superiores tendam a ser lenientes com a corrupção. (Pense no foro privilegiado. Pense no fato de que apesar de mais de 500 parlamentares terem sido investigados pelo STF desde 1998, a primeira condenação só tenha ocorrido em 2010.)

22) A operação Lava-Jato só foi possível por causa de uma conjunção improvável de fatores: um governo extremamente incompetente e fragilizado diante da derrocada econômica que causou, uma bobeada do parlamento que não percebeu que a legislação que operacionalizou a delação premiada era incompatível com o mecanismo, e o fato de que uma investigação potencialmente explosiva caiu nas mãos de uma equipe de investigadores, procuradores e de juízes, rígida, competente e com bastante sorte.

23) Não é certo que a Lava-Jato vai promover o desmonte do mecanismo. As forças politicas e jurídicas contrárias são significativas.

24) O Brasil atual está sendo administrado por um grupo de políticos especializados em operar o mecanismo, e que quer mantê-lo funcionando.

25) O desmonte definitivo do mecanismo é mais importante para o Brasil do que a estabilidade econômica de curto prazo.

26) Sem forte mobilização popular, é improvável que a Lava-Jato promova o desmonte do mecanismo.

27) Se o desmonte do mecanismo não decorrer da Lava-Jato, os políticos vão alterar a lei, e o Brasil terá que conviver com o mecanismo por um longo tempo.”

Ótimas as percepções de José Padilha sobre a realidade brasileira!

Isso é bom para o Brasil!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

TEMER APRESENTA O TUCANO ALEXANDRE DE MORAES PARA MINISTRO DO STF

 Alexandre de Moraes, aliado de Alkmin é o nome de Temer para o STF. * Foto – Internet – GGN.

A semana política começa em Brasília, neste final de segunda-feira, com a apresentação, pelo presidente Michel Temer, do nome do atual ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal – STF, na vaga aberta com a morte do ministro Teori Zavascki.

O processo agora vai para o Senado da República, onde a Comissão de Constituição e Justiça analisará se estão atendidos todos os requisitos constitucionais pelo indicado.

Depois Alexandre de Moraes passará por uma sabatina e na sequência o processo vai para o plenário do Senado, onde precisará de maioria simples, obtida com 41 votos.

O presidente Michel Temer agrada um pouco mais ao PSDB, independente das reclamações dos seus correligionários do PMDB.

Alexandre vai se licenciar do ministério da justiça enquanto o processo é concluído.

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

 

SENADOR ÁLVARO DIAS QUER JOSÉ MARANHÃO NA PRESIDÊNCIA DO SENADO

 

ze-maranhao-foto-ailton-freitas-agencia-o-globo

* Foto – Internet: Ailton Freitas – Agência O Globo.

José Maranhão, senador paraibano, do PMDB, tem uma chance rara de ser o próximo presidente do Senado da República. Se depender da vontade do senador paranaense Álvaro Dias e de muitos outros senadores que não aceitam o nome do senador Eunício Oliveira, do PMDB cearense, escolhido por Renan Calheiros, atual presidente, do PMDB de Alagoas, como candidato à sua sucessão.

Álvaro Dias manifestou seu apoio ao senador José Maranhão, em discurso, onde agradeceu o tratamento que recebeu de Maranhão, na Comissão de Constituição e Justiça.

“Agradeço a forma como fui tratado nesta Comissão e a primazia que tive de relatar matérias importantes”, destacou.

Ele também ressaltou que José Maranhão sempre procurou administrar a CCJ com isenção, afirmando que ele agiu com parcimônia, imparcialidade, inteligência e muita elegância.

Álvaro Dias finalizou, dizendo que não tem nenhuma dúvida em afirmar, que José Maranhão: “ficaria muito bem na cadeira de Presidente do Senado Federal, a partir de fevereiro do próximo ano. Teria o nosso voto e o nosso apoio”, declarou.

Vários senadores saudaram Maranhão e alguns chegaram a lamentar que o regimento da Casa não permita a recondução do presidente da CCJ.

O paraibano foi saudado e teve seu trabalho elogiado pelos senadores Simone Tebet (PMDB/MS), Valdir Raupp (PMDB/RO), Alvaro Dias (PV/PR), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB/SP), José Agripino (DEM/RN), Antônio Anastasia (PSDB/MG), José Pimentel (PT/CE), Magno Malta (PR/ES), Randolfe Rodrigues (REDE/AP) e Gleisi Hoffmann (PT/PR).

Agradecendo, Maranhão informou que “A CCJ apreciou diversas matérias de relevante interesse nacional, mantendo elevada – mesmo em ano eleitoral – sua produtividade e contribuindo sobremaneira para a considerável produção do Senado. Com isso, a CCJ soube, mais uma vez, responder às demandas da sociedade”, disse.

Com José Maranhão na presidência, ao longo de 2016, a CCJ realizou 43 reuniões, apreciou 330 matérias relevantes e ainda realizou seis audiências públicas, mesmo no período mais turbulento do impeachment da ex-presidente Dilma: “Aqui nós temos os maiores cérebros do Senado da República, mas também temos homens e mulheres de bem, que souberam dar a sua contribuição para que a nossa legislação.”

São três, os motivos que colocam José Maranhão em condições de exercer a presidência do Senado, neste momento de crise: a experiência política, o respeito dos outros senadores e o respeito das autoridades do Poder Executivo e do Poder Judiciário.

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com