REPERCUSSÃO DA ‘OPERAÇÃO CARNE FRACA’ – MUITO BARULHO POR QUASE NADA!

Delegados da Polícia Federal explicam detalhes. * Foto – Internet – Livre

A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, investigou, até agora, 22 empresas. Entre elas, estão unidades de produção da JBS e da BRF, as duas maiores redes do Brasil, proprietárias das marcas Seara, Perdigão e Friboi.

Também há frigoríficos pequenos, como Master Carnes, Peccin e Souza Ramos. 3 frigoríficos foram fechados na operação.

A investigação flagrou 33 funcionários públicos, inclusive o ministro da Justiça, deputado Osmar Serraglio, em situações de burla, ou tentativa de burlar, a legislação brasileira.

Políticos do PMDB e do PP aparecem como beneficiados pelo esquema de propinas e corrupção.

37 pessoas estão presas e 2 estão foragidas. O dono do frigorífico Frigobeto, Nilson Alves Ribeiro e seu filho, Nilson Umberto Sacchelli Ribeiro, diretor da empresa, não foram localizados.

São 46 pessoas investigadas e a Justiça Federal mandou bloquear até 1 milhão de reais das contas bancárias dos investigados e o Banco Central já informou que bloqueou mais de 2 bilhões.

O esquema liberava estoques de carnes dos frigoríficos, sem a devida fiscalização, dos fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa.

Os números dessa operação, são ínfimos, se comparados com o universo do agronegócio brasileiro.

Não é a primeira vez, e nem será a última, que corruptores e corrompidos são flagradas em atos de corrupção.

O Brasil é muito maior do que isso.

Logo, logo, o assunto estará diluído, mas não esquecido.

E as punições precisam ser exemplares.

Tem que demitir funcionário público corrupto e tem que banir do negócio da carne, os criminosos, travestidos de empresários.

Essa Operação Carne Fraca, é sim, boa para o Brasil!

Não vai prejudicar o país.

Pelo contrário, demonstra seriedade no controle da produção de alimentos.

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

REPERCUSSÃO DA ‘OPERAÇÃO CARNE FRACA’ – MUITO BARULHO POR QUASE NADA!

Delegados da Polícia Federal explicam detalhes. * Foto – Internet – Livre

A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, investigou, até agora, 22 empresas. Entre elas, estão unidades de produção da JBS e da BRF, as duas maiores redes do Brasil, proprietárias das marcas Seara, Perdigão e Friboi.

Também há frigoríficos pequenos, como Master Carnes, Peccin e Souza Ramos. 3 frigoríficos foram fechados na operação.

A investigação flagrou 33 funcionários públicos, inclusive o ministro da Justiça, deputado Osmar Serraglio, em situações de burla, ou tentativa de burlar, a legislação brasileira.

Políticos do PMDB e do PP aparecem como beneficiados pelo esquema de propinas e corrupção.

37 pessoas estão presas e 2 estão foragidas. O dono do frigorífico Frigobeto, Nilson Alves Ribeiro e seu filho, Nilson Umberto Sacchelli Ribeiro, diretor da empresa, não foram localizados.

São 46 pessoas investigadas e a Justiça Federal mandou bloquear até 1 milhão de reais das contas bancárias dos investigados e o Banco Central já informou que bloqueou mais de 2 bilhões.

O esquema liberava estoques de carnes dos frigoríficos, sem a devida fiscalização, dos fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa.

Os números dessa operação, são ínfimos, se comparados com o universo do agronegócio brasileiro.

Não é a primeira vez, e nem será a última, que corruptores e corrompidos são flagradas em atos de corrupção.

O Brasil é muito maior do que isso.

Logo, logo, o assunto estará diluído, mas não esquecido.

E as punições precisam ser exemplares.

Tem que demitir funcionário público corrupto e tem que banir do negócio da carne, os criminosos, travestidos de empresários.

Essa Operação Carne Fraca, é sim, boa para o Brasil!

Não vai prejudicar o país.

Pelo contrário, demonstra seriedade no controle da produção de alimentos.

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

“É UM MILAGRE QUE AINDA CONTINUE VIVO”, DIZ VARGAS LLOSA SOBRE SÉRGIO MORO

Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura 2010. * Foto – Internet – Wladimir Simitch – Pubblic Sénat

Em artigo publicado nos jornais El País e O Estado de São Paulo, neste final de semana, o escritor peruano Mário Vargas Llosa, escreveu, sob o título “O furacão Odebrecht”, afirma que “nenhum governo, empresa ou partido político, fez tanto quanto ela, desvelando a corrupção que corrói os países da América Latina, nem trabalhou com tanto ânimo para fomentá-la”.

O artigo conquistou imensa repercussão nas redes sociais e mídias da internet.

O escritor diz que “Sérgio Moro é um juiz fora do comum e que é um milagre que ainda esteja vivo”.

Vargas Llosa recorda que a Odebrecht gastou cerca de 800 milhões de dólares em propinas pagas a chefes de Estado para ganhar licitações e ganhar contratos superfaturados.

Ele escreveu que “nunca haveria uma punição se entre seus cúmplices não houvesse um grande número de diretores da Petrobrás, petrolífera brasileira que, investigada por um juiz fora do comum, Sérgio Moro, que abriu a caixa de Pandora – aliás, é um milagre que ainda continue vivo.”

Ganhador do PrêmioNobel de Literatura, ele lembra ainda que “nada desmoraliza tanto uma sociedade quanto admoestar os governantes que chegaram ao poder com os votos das pessoas comuns e aproveitaram esse mandato para enriquecer, pisoteando as leis e degradando a democracia”.

Segundo Vargas Llosa, a corrupção é, hoje em dia, a maior ameaça para o sistema de liberdades que está abrindo caminho na América Latina depois dos grandes fracassos das ditaduras militares e dos sonhos messiânicos dos revolucionários: “É uma tragédia que, quando a maioria dos latino-americanos parece estar convencida de que a democracia liberal é o único sistema que garante um desenvolvimento civilizado, na convivência e na legalidade, conspire contra essa tendência a rapina frenética de governantes corruptos”.

Atitude corajosa de Mario Vargas Llosa!

Isso é bom para o mundo!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

“É UM MILAGRE QUE AINDA CONTINUE VIVO”, DIZ VARGAS LLOSA SOBRE SÉRGIO MORO

Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura 2010. * Foto – Internet – Wladimir Simitch – Pubblic Sénat

Em artigo publicado nos jornais El País e O Estado de São Paulo, neste final de semana, o escritor peruano Mário Vargas Llosa, escreveu, sob o título “O furacão Odebrecht”, afirma que “nenhum governo, empresa ou partido político, fez tanto quanto ela, desvelando a corrupção que corrói os países da América Latina, nem trabalhou com tanto ânimo para fomentá-la”.

O artigo conquistou imensa repercussão nas redes sociais e mídias da internet.

O escritor diz que “Sérgio Moro é um juiz fora do comum e que é um milagre que ainda esteja vivo”.

Vargas Llosa recorda que a Odebrecht gastou cerca de 800 milhões de dólares em propinas pagas a chefes de Estado para ganhar licitações e ganhar contratos superfaturados.

Ele escreveu que “nunca haveria uma punição se entre seus cúmplices não houvesse um grande número de diretores da Petrobrás, petrolífera brasileira que, investigada por um juiz fora do comum, Sérgio Moro, que abriu a caixa de Pandora – aliás, é um milagre que ainda continue vivo.”

Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, ele lembra ainda que “nada desmoraliza tanto uma sociedade quanto admoestar os governantes que chegaram ao poder com os votos das pessoas comuns e aproveitaram esse mandato para enriquecer, pisoteando as leis e degradando a democracia”.

Segundo Vargas Llosa, a corrupção é, hoje em dia, a maior ameaça para o sistema de liberdades que está abrindo caminho na América Latina depois dos grandes fracassos das ditaduras militares e dos sonhos messiânicos dos revolucionários: “É uma tragédia que, quando a maioria dos latino-americanos parece estar convencida de que a democracia liberal é o único sistema que garante um desenvolvimento civilizado, na convivência e na legalidade, conspire contra essa tendência a rapina frenética de governantes corruptos”.

Atitude corajosa de Mario Vargas Llosa!

Isso é bom para o mundo!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

MINISTRO LUIZ EDSON FACHIN É O NOVO RELATOR DA OPERAÇÃO LAVA JATO

Ministro Luiz Edson Fachin, novo relator da Lava Jato no STF. * Foto – Internet – Nelson Júnior – SCO – STF.

A notícia de que o ministro Edson Fachin é o substituto do ministro Teori Zavascki, na relatoria dos processos oriundos da Operação Lava Jato, no Supremo Tribunal Federal – STF, é o mesmo que 1 balde de água quente para amornar a semana política em Brasília.

As últimas notícias estavam esfriando a semana política na capital federal.

Agora, chega uma notícia que pode levar o país a acreditar no prosseguimento das investigações sobre o pagamento de propinas e práticas de corrupção da Lava Jato.

Que Fachin tenha a coragem de Teori para enfrentar ladrões de dinheiro público!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

3 BALDES DE ÁGUA GELADA PRA ESFRIAR A SEMANA POLÍTICA EM BRASÍLIA

Eunício Oliveira, presidente do Senado Federal. * Foto – Internet – terra.com

3 importantes decisões jogaram 3 baldes de água gelada para esfriar o clima político em Brasília: Eunício Oliveira é o novo presidente do Senado da República; o ministro Celso de Melo, em decisão monocrática, validou a candidatura de Rodrigo Maia a reeleição de presidente na Câmara dos Deputados, e por último, o próprio Supremo Tribunal Federal – STF, não decidiu, por sorteio ou outro método de escolha, quem é o ministro sucesso de Teori Zavascki, na relatoria dos processos da Operação Lava Jato.

Para completar, ainda tem mais uma de lambuja: o ministro Gimar Mendes pediu vistas no processo que define a possibilidade de réu poder constar na linha de sucessão presidencial.

O problema é que a situação anteriormente vivida por Renan Calheiros, agora poderá ser vivida pelo senador Eunício Oliveira, novo presidente do Senado, apontado como beneficiário das propinas apuradas na Operação Lava Jato, ainda sem comprovação oficial.

Vamos esperar que a quinta-feira seja melhor!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

SÉRGIO MORO E OUTROS HERÓIS DA LAVAJATO

sergio-moro

* Crédito da Foto: G1.

De todas as grandes crises que o Brasil República enfrentou, a mais grave é esta atual. Crises políticas sempre existiram, mas esta é a primeira crise política associada a uma grave crise na economia, agravada pela falta de credibilidade dos governos e com o desmascaramento de muitos políticos, envolvidos em desvios de recursos públicos.

O Juiz Sérgio Moro está numa das pontas do processo, desde que assumiu a liderança do trabalho hercúleo, que procura combater a corrupção com dinheiro público no país, através da Operação LavaJato. Ela está mostrando ao país como empresários e políticos desonestos e ladrões de dinheiro público agem para sangrar os cofres públicos, através de contratos milionários e a distribuição de propinas para os que acobertam o roubo.

São muitos os heróis na Força Tarefa da Operação LavaJato.

Eles estão no Poder Judiciário Federal no Paraná (sede da operação), no Ministério Público Federal e na Polícia Federal.

 foto lava-jato

* Crédito da Foto: Divulgação.

Na linha de frente da investigação na primeira instância da Justiça Federal do Paraná, designados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estão os seguintes procuradores: Deltan Martinazzo Dallagnol, Carlos Fernando dos Santos Lima, Orlando Martello Junior, Athayde Ribeiro Costa, Diogo Castor de Mattos, Roberson Henrique Pozzobon, Paulo Roberto Galvão, Júlio Noronha, Laura Tessler, Isabel Cristina Groba Vieira, Jerusa Burmann Viecili, Januário Paludo (integrou a equipe e agora atua como colaborador), Antônio Carlos Welter (integrou a equipe e agora atua como colaborador) e Andrey Borges de Mendonça (integrou a equipe e agora atua como colaborador).

Na Procuradoria Geral da República, trabalham membros do Ministério Público Federal e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) para auxiliar o procurador-geral da República na análise dos processos em trâmite no Supremo Tribunal Federal.

Essa equipe é responsável por assessorar o PGR na investigação e acusação de deputados federais, senadores e outras autoridades. O grupo de trabalho atua em paralelo à força-tarefa, com os seguintes procuradores: Bruno Calabrich (PRR1), Douglas Fischer (Assessoria Criminal – PGR), Danilo Dias (Assessor Especial – Gabinete do PGR), Eduardo Pelella (Chefe de Gabinete do PGR) e Vladimir Aras (Secretaria de Cooperação Internacional – PGR).

Também trabalham no processo os procuradores Andrey Borges de Mendonça (PR/SP), Fábio Coimbra (PR/RS), Rodrigo Telles de Souza (PR/RN) e Daniel Resende Salgado (Secretaria de Pesquisa e Análise – SPEA/PGR), além dos promotores de justiça do MPDFT Sergio Fernandes e Wilton Queiroz.

A Operação LavaJato também tem uma força tarefa para atuar no Superior Tribunal de Justiça, com os seguintes sub-procuradores gerais da República: Francisco de Assis Vieira Sanseverino, Áurea Maria Etelvina Pierre, José Adonis Callou de Araújo Sá, Maria Hilda Masiaj Pinto e Mário José Gisi.

E pode acrescentar nessa lista, os delegados e agentes da Polícia Federal, designados para a operação.

Tarefa de gente grande e decente!

Esse povo merece o respeito, a atenção e as homenagens do povo brasileiro!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com