TV METROPOLITANO + UNP + ESTUDANTES

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 27-10-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, E O RESTO DO MUNDO, DÁ UMA SATISFAÇÃO IMENSA QUANDO CONSEGUIMOS AMPLIAR O NOSSO TRABALHO E BENEFICIAR OUTRAS PESSOAS COM ELE. É O CASO DA TV METROPOLITANO, QUE ESTÁ REALIZANDO UMA EXCELENTE PARCERIA COM A UNIVERSIDADE POTIGUAR – UNP. DESDE OPRINCÍPIO DO MÊS PASSADO, SETEMBRO, VÍNHAMOS RECEBENDO AQUI NA TV METROPOLITANO, OS ESTUDANTES CONCLUINTES DO CURSO DE JORNALISMO, QUE ESTÃO AGORA, PAGANDO A DISCIPLINA DO ESTÁGIO CURRICULAR EM ÁUDIOVISUAL. TUDO FRUTO DE UMA PARCERIA DA ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES DA UNP COM A TV METROPOLITANO, AFILIADA DA RBTV – REDE BRASIL DE TELEVISÃO NO RIO GRANDE DO NORTE. O CONVÊNIO AMPLIA O LEQUE DE OPORTUNIDADES EM ESTÁGIO PARA ALUNOS DE JORNALISMO. SÃO 27 CONCLUINTES QUE ESTÃO TENDO A OPORTUNIDADE DE AUXILIAR E DESENVOLVER AS HABILIDADES NA PRODUÇÃO DE REPORTAGENS E CONTEÚDOS EM UMA REDAÇÃO DE TELEVISÃO. OS ESTAGIÁRIOS CONTAM COM A COORDENAÇÃO DO PROFESSOR FRANCISCO DE PAULA, COORDENADOR DOS CURSOS DA ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES, A SUPERVISÃO ACADÊMICA DAS PROFESSORAS ANA TÁZIA CARDOSO E MICHELLE FERRET E O AUXÍLIO DA EQUIPE DE PROFISSIONAIS AQUI DA TV METROPOLITANO NO DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES DE PRODUÇÃO DE REPORTAGENS. PONTO PARA O FUNDADOR DA TV METROPOLITANO, JORNALISTA ROBERTO COSTA LIMA, QUE ACREDITA NESTE TIPO DE PARCERIA PARA UMA RELAÇÃO GANHA-GANHA, ONDE A TV, A UNP E OS ESTUDANTES SAEM VITORIOSOS. OS ALUNOS JÁ ESTÃO ENGAJADOS NA PRODUÇÃO DE PAUTAS, REPORTAGENS, MÍDIAS SOCIAIS, PRODUÇÃO E COMERCIAL, O QUE VAI LHES GARANTIR UM DIFERENCIAL, NA HORA DE ENTRAR NO MERCADO DE TRABALHO. RANIERY PIMENTA, DIRETOR DA ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES, COMEMORA O EMPENHO DA UNP EM GERAR PROFISSIONAIS QUALIFICADOS PARA O MERCADO DE TRABALHO. EU QUE ESTOU CONVIVENDO MAIS DE PERTO COM ESSA TURMA, ACHO SIMPLESMENTE DIVINO ESSE INSTANTE DA AMPLIAÇÃO DO CONHECIMENTO NA MENTE HUMANA. UM ESPETÁCULO! É A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

ASSISTA O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA – TV METROPOLITANO, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 7H30 ÀS 8H30, NO CANAL DIGITAL 23.1, DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE. NO CANAL 25, DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS PARA A REGIÃO OESTE.
NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ ASSISTE O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

TV METROPOLITANO + UNP + ESTUDANTES

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 27-10-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, E O RESTO DO MUNDO, DÁ UMA SATISFAÇÃO IMENSA QUANDO CONSEGUIMOS AMPLIAR O NOSSO TRABALHO E BENEFICIAR OUTRAS PESSOAS COM ELE. É O CASO DA TV METROPOLITANO, QUE ESTÁ REALIZANDO UMA EXCELENTE PARCERIA COM A UNIVERSIDADE POTIGUAR – UNP. DESDE OPRINCÍPIO DO MÊS PASSADO, SETEMBRO, VÍNHAMOS RECEBENDO AQUI NA TV METROPOLITANO, OS ESTUDANTES CONCLUINTES DO CURSO DE JORNALISMO, QUE ESTÃO AGORA, PAGANDO A DISCIPLINA DO ESTÁGIO CURRICULAR EM ÁUDIOVISUAL. TUDO FRUTO DE UMA PARCERIA DA ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES DA UNP COM A TV METROPOLITANO, AFILIADA DA RBTV – REDE BRASIL DE TELEVISÃO NO RIO GRANDE DO NORTE. O CONVÊNIO AMPLIA O LEQUE DE OPORTUNIDADES EM ESTÁGIO PARA ALUNOS DE JORNALISMO. SÃO 27 CONCLUINTES QUE ESTÃO TENDO A OPORTUNIDADE DE AUXILIAR E DESENVOLVER AS HABILIDADES NA PRODUÇÃO DE REPORTAGENS E CONTEÚDOS EM UMA REDAÇÃO DE TELEVISÃO. OS ESTAGIÁRIOS CONTAM COM A COORDENAÇÃO DO PROFESSOR FRANCISCO DE PAULA, COORDENADOR DOS CURSOS DA ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES, A SUPERVISÃO ACADÊMICA DAS PROFESSORAS ANA TÁZIA CARDOSO E MICHELLE FERRET E O AUXÍLIO DA EQUIPE DE PROFISSIONAIS AQUI DA TV METROPOLITANO NO DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES DE PRODUÇÃO DE REPORTAGENS. PONTO PARA O FUNDADOR DA TV METROPOLITANO, JORNALISTA ROBERTO COSTA LIMA, QUE ACREDITA NESTE TIPO DE PARCERIA PARA UMA RELAÇÃO GANHA-GANHA, ONDE A TV, A UNP E OS ESTUDANTES SAEM VITORIOSOS. OS ALUNOS JÁ ESTÃO ENGAJADOS NA PRODUÇÃO DE PAUTAS, REPORTAGENS, MÍDIAS SOCIAIS, PRODUÇÃO E COMERCIAL, O QUE VAI LHES GARANTIR UM DIFERENCIAL, NA HORA DE ENTRAR NO MERCADO DE TRABALHO. RANIERY PIMENTA, DIRETOR DA ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES, COMEMORA O EMPENHO DA UNP EM GERAR PROFISSIONAIS QUALIFICADOS PARA O MERCADO DE TRABALHO. EU QUE ESTOU CONVIVENDO MAIS DE PERTO COM ESSA TURMA, ACHO SIMPLESMENTE DIVINO ESSE INSTANTE DA AMPLIAÇÃO DO CONHECIMENTO NA MENTE HUMANA. UM ESPETÁCULO! É A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

ASSISTA O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA – TV METROPOLITANO, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 7H30 ÀS 8H30, NO CANAL DIGITAL 23.1, DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE. NO CANAL 25, DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS PARA A REGIÃO OESTE.
NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ ASSISTE O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

FALTA UM LÍDER, FALTA UM PACTO

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 02-10-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, AS COISAS DO DIA-A-DIA ESTÃO TÃO DIFÍCEIS QUE TODOS NÓS PRECISAMOS REFLETIR E ENCONTRAR OS MEIOS NECESSÁRIOS PARA ENFRENTAR OS PROBLEMAS PESSOAIS E MELHORAR ENQUANTO PESSOAS. TAMBÉM PRECISAMOS NOS UNIR PARA ENFRENTAR AS DIFICULDADES COLETIVAS E DIMINUIR OS PROBLEMAS DA SOCIEDADE. GOVERNANTES INSTALADOS NOS TRÊS PODERES, EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO, PRECISAM ENTENDER QUE ESTÁ NA HORA DE TODOS SE UNIREM PARA ENFRENTAR OS GRAVES PROBLEMAS DE ESCASSEZ DE RECURSOS PÚBLICOS PARA OTIMIZAR OS SERVIÇOS QUE A POPULAÇÃO MAIS NECESSITA. ESTAMOS FALANDO DE SEGURANÇA, HABITAÇÃO, SAÚDE E EDUCAÇÃO. HÁ TAMBÉM PROBLEMAS EMERGENCIAIS COMO A FALTA DE ÁGUA, UMA AMEAÇA QUE, INFELIZMENTE, ESTÁ SE TRANSFORMANDO EM REALIDADE PARA UMA PARCELA IMPORTANTE DA SOCIEDADE POTIGUAR. AS CARÊNCIAS DA POPULAÇÃO, NESTE MOMENTO, DEVEM SER ENCARADAS E RESOLVIDAS. NÃO HÁ ESPAÇO PARA QUERELAS E INTRIGAS POLÍTICAS. O POVO ESTÁ PRECISANDO DA AÇÃO DOS GOVERNANTES. QUANDO FALAMOS GOVERNANTES, NÃO FALAMOS APENAS DO GOVERNADOR E DOS SECRETÁRIOS QUE ESTÃO NO PODER EXECUTIVO, MAS TAMBÉM DOS DEPUTADOS ESTADUAIS E DOS CONSELHEIROS DO TRIBUNAL DE CONTAS, NO PODER LEGISLATIVO, E AINDA DOS DESEMBARGADORES, DOS JUÍZES, PROCURADORES E PROMOTORES DE JUSTIÇA, NO PODER JUDICIÁRIO. QUANTO MAIS SE ADIAR A ELABORAÇÃO DE UM PACTO, MAIS PROBLEMÁTICA SERÁ A SITUAÇAO. MAS DIFÍCIL SERÁ ENCONTRAR CAMINHOS PARA MINORAR O SOFRIMENTO DA POPULAÇÃO. E AS CONSEQUÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS SERÃO TOTALMENTE E COMPLETAMENTE IMPREVISÍVEIS. DO JEITO QUE ESTÁ, NÃO DÁ PRA FICAR. FALTA UM LÍDER, ALGUÉM QUE USE DO BOM SENSO PARA PROPOR AÇÕES INTELIGENTES E INDEPENDENTE DE PARTIDOS E CORES PATIDÁRIAS, MELHORAR O RESPEITO AOS DIREITOS DO CIDADÃO. QUE SE HABILITEM, ENTÃO, OS LÍDERES. É A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA VOCÊ ASSISTE, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 07H30M ÀS 08H30M, NA TV METROPOLITANO NO CANAL DIGITAL 23.1, A PARTIR DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MAIS ALGUNS MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE.
A PARTIR DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS, NO CANAL 25.

NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ PODE ASSISTIR O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE QUE ESTÁ PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

FALTA UM LÍDER, FALTA UM PACTO

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 02-10-2017

OLHA, CÁ PRA NÓS, AS COISAS DO DIA-A-DIA ESTÃO TÃO DIFÍCEIS QUE TODOS NÓS PRECISAMOS REFLETIR E ENCONTRAR OS MEIOS NECESSÁRIOS PARA ENFRENTAR OS PROBLEMAS PESSOAIS E MELHORAR ENQUANTO PESSOAS. TAMBÉM PRECISAMOS NOS UNIR PARA ENFRENTAR AS DIFICULDADES COLETIVAS E DIMINUIR OS PROBLEMAS DA SOCIEDADE. GOVERNANTES INSTALADOS NOS TRÊS PODERES, EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO, PRECISAM ENTENDER QUE ESTÁ NA HORA DE TODOS SE UNIREM PARA ENFRENTAR OS GRAVES PROBLEMAS DE ESCASSEZ DE RECURSOS PÚBLICOS PARA OTIMIZAR OS SERVIÇOS QUE A POPULAÇÃO MAIS NECESSITA. ESTAMOS FALANDO DE SEGURANÇA, HABITAÇÃO, SAÚDE E EDUCAÇÃO. HÁ TAMBÉM PROBLEMAS EMERGENCIAIS COMO A FALTA DE ÁGUA, UMA AMEAÇA QUE, INFELIZMENTE, ESTÁ SE TRANSFORMANDO EM REALIDADE PARA UMA PARCELA IMPORTANTE DA SOCIEDADE POTIGUAR. AS CARÊNCIAS DA POPULAÇÃO, NESTE MOMENTO, DEVEM SER ENCARADAS E RESOLVIDAS. NÃO HÁ ESPAÇO PARA QUERELAS E INTRIGAS POLÍTICAS. O POVO ESTÁ PRECISANDO DA AÇÃO DOS GOVERNANTES. QUANDO FALAMOS GOVERNANTES, NÃO FALAMOS APENAS DO GOVERNADOR E DOS SECRETÁRIOS QUE ESTÃO NO PODER EXECUTIVO, MAS TAMBÉM DOS DEPUTADOS ESTADUAIS E DOS CONSELHEIROS DO TRIBUNAL DE CONTAS, NO PODER LEGISLATIVO, E AINDA DOS DESEMBARGADORES, DOS JUÍZES, PROCURADORES E PROMOTORES DE JUSTIÇA, NO PODER JUDICIÁRIO. QUANTO MAIS SE ADIAR A ELABORAÇÃO DE UM PACTO, MAIS PROBLEMÁTICA SERÁ A SITUAÇAO. MAS DIFÍCIL SERÁ ENCONTRAR CAMINHOS PARA MINORAR O SOFRIMENTO DA POPULAÇÃO. E AS CONSEQUÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS SERÃO TOTALMENTE E COMPLETAMENTE IMPREVISÍVEIS. DO JEITO QUE ESTÁ, NÃO DÁ PRA FICAR. FALTA UM LÍDER, ALGUÉM QUE USE DO BOM SENSO PARA PROPOR AÇÕES INTELIGENTES E INDEPENDENTE DE PARTIDOS E CORES PATIDÁRIAS, MELHORAR O RESPEITO AOS DIREITOS DO CIDADÃO. QUE SE HABILITEM, ENTÃO, OS LÍDERES. É A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA VOCÊ ASSISTE, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 07H30M ÀS 08H30M, NA TV METROPOLITANO NO CANAL DIGITAL 23.1, A PARTIR DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MAIS ALGUNS MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE.
A PARTIR DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS, NO CANAL 25.

NO FACEBOOK, A QUALQER MOMENTO, VOCÊ PODE ASSISTIR O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE QUE ESTÁ PUBLICADA NAS PÁGINAS CASCIANO JOSÉ VIDAL E TV METROPOLITANO.

AUSÊNCIA DO ESTADO FAVORECE O CRIME

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 13-9-2017

OLHA, VAMOS FALAR SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA E VIOLÊNCIA. O BRASIL ESTÁ COM UM GRAVÍSSIMO PROBLEMA. A DISSEMINAÇÃO DE DROGAS E ARMAS CONTRABANDEADAS, COM UMA CAPILARIDADE INCRÍVEL, ESTÁ OCUPANDO TODOS OS ESPAÇOS DA SOCIEDADE ONDE NÃO EXISTE A PRESENÇA DO GOVERNO. CRIMINOSOS OCUPAM O ESPAÇO NA AUSÊNCIA DO GOVERNO. AO INVÉS DE ESCOLAS, DE POSTOS DE SAÚDE, DE UNIDADES DA POLÍCIA, INSTALAM-SE PONTOS DE VENDA DE DROGAS E ATÉ DE ARMAS. A AUSÊNCIA DE ESCOLAS NO PASSADO RECENTE, AUMENTA A NECESSIDADE DE PENITENCIÁRIAS HOJE. PERSISTINDO A SITUAÇÃO, QUANTO MENOS ESCOLAS, MAIS PENITENCIÁRIAS. SE OS GOVERNOS NÃO GARANTEM A EDUCAÇÃO PARA AS CRIANÇAS, VAI PRECISAR DE MAIS PENITENCIÁRIAS PARA OS ADULTOS. ALÉM DISSO, FALTAM VERBAS PARA GARANTIR O MÍNIMO NECESSÁRIO DE PESSOAL, ARMAMENTOS E EQUIPAMENTOS PARA AS POLÍCIAS. SE POR UM LADO, É VERDADE QUE A PÓS VERDADE E AS VERDADES AMPLIADAS, PROPORCIONADAS PELA INTERNET, NAS MÍDIAS SOCIAIS E NO GRUPOS DE WHATTSAPP, AMPLIAM EM MUITO A SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA. POR OUTRO LADO, TEMOS UMA JUSTIÇA LENTA E TAMBÉM MAIS RECENTEMENTE A IMPLANTAÇÃO DAS AUDIÊNCIAS DE CUSTÓDIA, QUE AMPLIAM A SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE. E NÃO ADIANTA PROCURAR UM CULPADO. AS FALHAS DO SISTEMA JUDICIÁRIO E A FALTA DE VERBAS CAUSAM ESTA SITUAÇÃO, AMPLIADA PELA CAPILARIDADE E A REPERCUSSÃO DAS INFORMAÇÕES NEGATIVAS NA INTERNET. É A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA VOCÊ ASSISTE, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 07H30M ÀS 08H30M, NA TV METROPOLITANO NO CANAL DIGITAL 23.1, A PARTIR DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MAIS ALGUNS MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE.

A PARTIR DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS, NO CANAL 25. 

AUSÊNCIA DO ESTADO FAVORECE O CRIME

OPINIÃO NO PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA TV METROPOLITANO, EDIÇÃO DE 13-9-2017

OLHA, VAMOS FALAR SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA E VIOLÊNCIA. O BRASIL ESTÁ COM UM GRAVÍSSIMO PROBLEMA. A DISSEMINAÇÃO DE DROGAS E ARMAS CONTRABANDEADAS, COM UMA CAPILARIDADE INCRÍVEL, ESTÁ OCUPANDO TODOS OS ESPAÇOS DA SOCIEDADE ONDE NÃO EXISTE A PRESENÇA DO GOVERNO. CRIMINOSOS OCUPAM O ESPAÇO NA AUSÊNCIA DO GOVERNO. AO INVÉS DE ESCOLAS, DE POSTOS DE SAÚDE, DE UNIDADES DA POLÍCIA, INSTALAM-SE PONTOS DE VENDA DE DROGAS E ATÉ DE ARMAS. A AUSÊNCIA DE ESCOLAS NO PASSADO RECENTE, AUMENTA A NECESSIDADE DE PENITENCIÁRIAS HOJE. PERSISTINDO A SITUAÇÃO, QUANTO MENOS ESCOLAS, MAIS PENITENCIÁRIAS. SE OS GOVERNOS NÃO GARANTEM A EDUCAÇÃO PARA AS CRIANÇAS, VAI PRECISAR DE MAIS PENITENCIÁRIAS PARA OS ADULTOS. ALÉM DISSO, FALTAM VERBAS PARA GARANTIR O MÍNIMO NECESSÁRIO DE PESSOAL, ARMAMENTOS E EQUIPAMENTOS PARA AS POLÍCIAS. SE POR UM LADO, É VERDADE QUE A PÓS VERDADE E AS VERDADES AMPLIADAS, PROPORCIONADAS PELA INTERNET, NAS MÍDIAS SOCIAIS E NO GRUPOS DE WHATTSAPP, AMPLIAM EM MUITO A SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA. POR OUTRO LADO, TEMOS UMA JUSTIÇA LENTA E TAMBÉM MAIS RECENTEMENTE A IMPLANTAÇÃO DAS AUDIÊNCIAS DE CUSTÓDIA, QUE AMPLIAM A SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE. E NÃO ADIANTA PROCURAR UM CULPADO. AS FALHAS DO SISTEMA JUDICIÁRIO E A FALTA DE VERBAS CAUSAM ESTA SITUAÇÃO, AMPLIADA PELA CAPILARIDADE E A REPERCUSSÃO DAS INFORMAÇÕES NEGATIVAS NA INTERNET. É A MINHA OPINIÃO! É POR AÍ!…

O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA VOCÊ ASSISTE, DE SEGUNDA À SEXTA, DAS 07H30M ÀS 08H30M, NA TV METROPOLITANO NO CANAL DIGITAL 23.1, A PARTIR DE NATAL PARA A TODA REGIÃO METROPOLITANA E MAIS ALGUNS MUNICÍPIOS DAS REGIÕES AGRESTE, POTENGI E MATO GRANDE.

A PARTIR DE MOSSORÓ E DE PAU DOS FERROS, NO CANAL 25.


VOCÊ PODE ASSISTIR, A QUALQUER MOMENTO, O PROGRAMA PRIMEIRA PÁGINA, NA LIVE QUE ESTÁ PUBLICADA NA PÁGINA DA TV METROPOLITANO NO FACEBOOK! 

‘10 MEDIDAS’ VOLTAM À CÂMARA FEDERAL E RECOMEÇA A LUTA PELA APROVAÇÃO

Ministro Lux Fux. * Foto – Internet – Pedro Ladeira – Folhapress

Vamos recordar quais são as 10 propostas do Ministério Público Federal apoiado pelos Ministérios Públicos de todo o Brasil, para combater e reduzir a corrupção de dinheiro público no Brasil.

O projeto de lei, de origem popular, com as 10 Medidas voltou para a Câmara dos Deputados por determinação do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal – STF.

O presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia, que antes havia declarado que a decisão era uma invasão do Poder Judiciário no Poder Legislativo, agora está mais calmo, embora ainda não tenha anunciado como será a nova tramitação do projeto.

Conheça as 10 Medidas do projeto:

1

Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação

Esta medida inclui a destinação de parte dos recursos de publicidade dos entes da Administração Pública (entre 10% e 20%) a programas de marketing voltados a estabelecer uma cultura de intolerância à corrupção e a conscientizar a população sobre os danos sociais e individuais causados por ela. Além disso, propõe o treinamento reiterado de todos os funcionários públicos em posturas e procedimentos contra a corrupção, o estabelecimento de códigos de ética claros e a realização de programas de conscientização e pesquisas em escolas e universidades. Para estimular denúncias de casos de corrupção, pretende-se garantir sigilo da testemunha. Por fim, propõe-se ainda, mecanismos que  garantam a celeridade dos processos, sempre que seu trâmite demorar mais do que a duração razoável.

2

Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos

A proposta torna crime o enriquecimento ilícito de agentes públicos, com previsão de pena de prisão variando entre três e oito anos. A medida pretende garantir que o agente público não fique impune mesmo quando não for possível descobrir ou comprovar quais foram os atos específicos de  corrupção praticados por ele. Ou seja, ainda que não tenha sido possível comprovar o crime de corrupção na origem, o fato de o agente público ter adquirido considerável patrimônio, absolutamente incompatível com seus rendimentos, poderá acarretar a responsabilização, pela evidência do enriquecimento ilícito.

3

 Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores

Prevê o aumento de pena para crimes de colarinho branco conforme o valor do dinheiro desviado. Assim, quanto maior o dano causado ao patrimônio público, maior será a condenação, que pode variar de 12 até 25 anos de prisão, quando o montante for superior a R$ 8 milhões. A ampliação da pena objetiva coibir a prática da corrupção, bem como evitar a prescrição dos crimes desta natureza. Além disso, atribui aos crimes de corrupção peso equivalente aos crimes praticados contra a vida, pois a corrupção mata ao desviar recursos públicos que deveriam garantir direitos essenciais como saúde, educação, saneamento básico e segurança.

4

Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal

São propostas 11 alterações pontuais no Código de Processo Penal (CPP) e uma emenda constitucional, a fim de dar celeridade à tramitação de recursos em casos do chamado “crime do colarinho branco”, sem prejuízo do direito de defesa do réu. Atualmente, brechas na lei permitem que a sentença final desse tipo de crime demore mais de 15 anos para ser proferida, diante de recursos e estratégias que protelam as decisões.

Essas alterações incluem a possibilidade de execução imediata da condenação quando o tribunal reconhece abuso do direito de recorrer; a revogação dos embargos infringentes e de nulidade; a extinção da figura do revisor; a vedação dos embargos de declaração de embargos de declaração; a simultaneidade do julgamento dos recursos especiais e extraordinários; novas regras para habeas corpus; e a possibilidade de execução provisória da pena após julgamento de mérito do caso por tribunal de apelação, conforme acontece em inúmeros países.

5

Celeridade nas ações de improbidade administrativa

A medida propõe três alterações na Lei nº 8.429/92, que trata das sanções aplicáveis a agentes públicos que cometem atos de improbidade administrativa, para agilizar a tramitação de ações dessa natureza. Dentre as alterações estão a adoção de uma defesa inicial única (hoje ela é duplicada); a criação de varas, câmaras e turmas especializadas para julgar ações de improbidade administrativa e ações decorrentes da lei anticorrupção.

6

Reforma no sistema de prescrição penal

Um crime prescreve quando o julgamento final de um caso demora tanto tempo que a punição perde seu efeito. Nos crimes de colarinho branco, muitas vezes essa demora é utilizada como manobra de defesa, que interpõe recursos e outras medidas judiciais para retardar o andamento do processo e, assim, evitar a punição dos acusados.

A proposta consiste em promover alterações nos artigos do Código Penal referentes ao sistema prescricional, a fim de se evitar que decisões judiciais sejam postergadas e acarretem a prescrição. Também permite que a contagem do prazo da prescrição da pretensão executória comece a contar do trânsito em julgado (decisão de última instância, quando não cabe mais recurso) para todas as partes, e não apenas para a acusação, como é hoje. Além disso, são sugeridas alterações para se evitar que o prazo para prescrição continue correndo enquanto há pendências de julgamento de recursos especiais e extraordinários. Pretende-se, ainda, que as prescrições possam ser interrompidas por decisões posteriores à sentença e por recursos da acusação.

7

Ajustes nas nulidades penais

Esta medida propõe uma série de alterações no capítulo do Código de Processo Penal que trata de nulidades, com o objetivo de que a anulação e a exclusão da prova somente ocorram quando houver uma efetiva e real violação de direitos do réu. Busca-se evitar que o princípio da nulidade seja utilizado pela defesa para retardar ou comprometer o andamento do processo.

8

Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa dois

A medida pretende responsabilizar, de forma objetiva, os partidos políticos em relação a práticas corruptas, à criminalização da contabilidade paralela (caixa 2) e à criminalização eleitoral da lavagem de dinheiro produto de crimes, de fontes de recursos vedadas pela legislação eleitoral ou que não tenham sido contabilizados na forma exigida pela legislação.

9

Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado

Propõe mudanças na lei para que o dinheiro ilícito seja rastreado mais rapidamente, facilitando tanto as investigações como o bloqueio de bens obtidos de forma ilegal. Também cria a hipótese de prisão extraordinária para permitir a identificação e a localização de dinheiro e/ou bens provenientes de crime, evitando que sejam utilizados para financiar a fuga ou a defesa do investigado/acusado.

10

Recuperação do lucro derivado do crime

Esta medida traz duas inovações legislativas que acabam com brechas na lei para evitar que o criminoso alcance vantagens indevidas. A primeira delas é a criação do confisco alargado, que permite o confisco dos valores existentes entre a diferença do patrimônio declarado e o adquirido comprovadamente de maneira ilegal (como os obtidos através de crimes contra a Administração Pública e do tráfico de drogas). A segunda inovação é a ação civil de extinção de domínio, que possibilita que a Justiça declare a perda de bens obtidos de forma ilícita, independentemente da responsabilização do autor do ato infracional.

* Fonte: http://www.mppr.mp.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=6193

Aproveite e compatilhe esta informação com os seus familiares e amigos que também desejam o fim da corrupção com dinheiro público no Brasil.

Se cada um fizer a sua parte nesta luta contra a corrupção, breve teremos um país muito melhor para se viver.

Quando publicar ou compartilhar alguma notícia sobre isso, use hastags.

#10Medidas #Euapoio10medidas

Isso é bom para o Brasil!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

‘10 MEDIDAS’ VOLTAM À CÂMARA FEDERAL E RECOMEÇA A LUTA PELA APROVAÇÃO

Ministro Lux Fux. * Foto – Internet – Pedro Ladeira – Folhapress

Vamos recordar quais são as 10 propostas do Ministério Público Federal apoiado pelos Ministérios Públicos de todo o Brasil, para combater e reduzir a corrupção de dinheiro público no Brasil.

O projeto de lei, de origem popular, com as 10 Medidas voltou para a Câmara dos Deputados por determinação do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal – STF.

O presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia, que antes havia declarado que a decisão era uma invasão do Poder Judiciário no Poder Legislativo, agora está mais calmo, embora ainda não tenha anunciado como será a nova tramitação do projeto.

Conheça as 10 Medidas do projeto:

1

Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação

Esta medida inclui a destinação de parte dos recursos de publicidade dos entes da Administração Pública (entre 10% e 20%) a programas de marketing voltados a estabelecer uma cultura de intolerância à corrupção e a conscientizar a população sobre os danos sociais e individuais causados por ela. Além disso, propõe o treinamento reiterado de todos os funcionários públicos em posturas e procedimentos contra a corrupção, o estabelecimento de códigos de ética claros e a realização de programas de conscientização e pesquisas em escolas e universidades. Para estimular denúncias de casos de corrupção, pretende-se garantir sigilo da testemunha. Por fim, propõe-se ainda, mecanismos que  garantam a celeridade dos processos, sempre que seu trâmite demorar mais do que a duração razoável.

2

Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos

A proposta torna crime o enriquecimento ilícito de agentes públicos, com previsão de pena de prisão variando entre três e oito anos. A medida pretende garantir que o agente público não fique impune mesmo quando não for possível descobrir ou comprovar quais foram os atos específicos de  corrupção praticados por ele. Ou seja, ainda que não tenha sido possível comprovar o crime de corrupção na origem, o fato de o agente público ter adquirido considerável patrimônio, absolutamente incompatível com seus rendimentos, poderá acarretar a responsabilização, pela evidência do enriquecimento ilícito.

3

 Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores

Prevê o aumento de pena para crimes de colarinho branco conforme o valor do dinheiro desviado. Assim, quanto maior o dano causado ao patrimônio público, maior será a condenação, que pode variar de 12 até 25 anos de prisão, quando o montante for superior a R$ 8 milhões. A ampliação da pena objetiva coibir a prática da corrupção, bem como evitar a prescrição dos crimes desta natureza. Além disso, atribui aos crimes de corrupção peso equivalente aos crimes praticados contra a vida, pois a corrupção mata ao desviar recursos públicos que deveriam garantir direitos essenciais como saúde, educação, saneamento básico e segurança.

4

Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal

São propostas 11 alterações pontuais no Código de Processo Penal (CPP) e uma emenda constitucional, a fim de dar celeridade à tramitação de recursos em casos do chamado “crime do colarinho branco”, sem prejuízo do direito de defesa do réu. Atualmente, brechas na lei permitem que a sentença final desse tipo de crime demore mais de 15 anos para ser proferida, diante de recursos e estratégias que protelam as decisões.

Essas alterações incluem a possibilidade de execução imediata da condenação quando o tribunal reconhece abuso do direito de recorrer; a revogação dos embargos infringentes e de nulidade; a extinção da figura do revisor; a vedação dos embargos de declaração de embargos de declaração; a simultaneidade do julgamento dos recursos especiais e extraordinários; novas regras para habeas corpus; e a possibilidade de execução provisória da pena após julgamento de mérito do caso por tribunal de apelação, conforme acontece em inúmeros países.

5

Celeridade nas ações de improbidade administrativa

A medida propõe três alterações na Lei nº 8.429/92, que trata das sanções aplicáveis a agentes públicos que cometem atos de improbidade administrativa, para agilizar a tramitação de ações dessa natureza. Dentre as alterações estão a adoção de uma defesa inicial única (hoje ela é duplicada); a criação de varas, câmaras e turmas especializadas para julgar ações de improbidade administrativa e ações decorrentes da lei anticorrupção.

6

Reforma no sistema de prescrição penal

Um crime prescreve quando o julgamento final de um caso demora tanto tempo que a punição perde seu efeito. Nos crimes de colarinho branco, muitas vezes essa demora é utilizada como manobra de defesa, que interpõe recursos e outras medidas judiciais para retardar o andamento do processo e, assim, evitar a punição dos acusados.

A proposta consiste em promover alterações nos artigos do Código Penal referentes ao sistema prescricional, a fim de se evitar que decisões judiciais sejam postergadas e acarretem a prescrição. Também permite que a contagem do prazo da prescrição da pretensão executória comece a contar do trânsito em julgado (decisão de última instância, quando não cabe mais recurso) para todas as partes, e não apenas para a acusação, como é hoje. Além disso, são sugeridas alterações para se evitar que o prazo para prescrição continue correndo enquanto há pendências de julgamento de recursos especiais e extraordinários. Pretende-se, ainda, que as prescrições possam ser interrompidas por decisões posteriores à sentença e por recursos da acusação.

7

Ajustes nas nulidades penais

Esta medida propõe uma série de alterações no capítulo do Código de Processo Penal que trata de nulidades, com o objetivo de que a anulação e a exclusão da prova somente ocorram quando houver uma efetiva e real violação de direitos do réu. Busca-se evitar que o princípio da nulidade seja utilizado pela defesa para retardar ou comprometer o andamento do processo.

8

Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa dois

A medida pretende responsabilizar, de forma objetiva, os partidos políticos em relação a práticas corruptas, à criminalização da contabilidade paralela (caixa 2) e à criminalização eleitoral da lavagem de dinheiro produto de crimes, de fontes de recursos vedadas pela legislação eleitoral ou que não tenham sido contabilizados na forma exigida pela legislação.

9

Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado

Propõe mudanças na lei para que o dinheiro ilícito seja rastreado mais rapidamente, facilitando tanto as investigações como o bloqueio de bens obtidos de forma ilegal. Também cria a hipótese de prisão extraordinária para permitir a identificação e a localização de dinheiro e/ou bens provenientes de crime, evitando que sejam utilizados para financiar a fuga ou a defesa do investigado/acusado.

10

Recuperação do lucro derivado do crime

Esta medida traz duas inovações legislativas que acabam com brechas na lei para evitar que o criminoso alcance vantagens indevidas. A primeira delas é a criação do confisco alargado, que permite o confisco dos valores existentes entre a diferença do patrimônio declarado e o adquirido comprovadamente de maneira ilegal (como os obtidos através de crimes contra a Administração Pública e do tráfico de drogas). A segunda inovação é a ação civil de extinção de domínio, que possibilita que a Justiça declare a perda de bens obtidos de forma ilícita, independentemente da responsabilização do autor do ato infracional.

* Fonte: http://www.mppr.mp.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=6193

Aproveite e compatilhe esta informação com os seus familiares e amigos que também desejam o fim da corrupção com dinheiro público no Brasil.

Se cada um fizer a sua parte nesta luta contra a corrupção, breve teremos um país muito melhor para se viver.

Quando publicar ou compartilhar alguma notícia sobre isso, use hastags.

#10Medidas #Euapoio10medidas

Isso é bom para o Brasil!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

TARDE / NOITE DE RECORDAÇÕES COM AS MEMÓRIAS DA FACULDADE DE JORNALISMO ELOY DE SOUZA

0-2

* O convite.

Abençoados pela lua cheia, que ainda está lá no céu de Natal, neste final de tarde / começo de noite, os jornalistas e professores da UFRN Geraldo Queiroz, Nicolau Frederico, Rejane Lordão e Tarcísio Gurgel, autografam, a partir das 18 horas, no Clube do Radioamador, ali Avenida Rodrigues Alves, no Tirol (vizinho à Cidade da Criança), sob os olhares do gentleman Temístocles Amador, o livro “Memórias, Faculdade de Jornalismo Eloy de Souza”.

 unknown

* Professor Geraldo Queiróz. Foto: Tribuna do Norte-Internet.

“Em nome dos organizadores, convido todos a participar do lançamento, especialmente aqueles que deram e dão continuidade à missão da antiga Faculdade, marco na história do Rio Grande do Norte. O livro demonstra isso, através das várias narrativas de seus autores.” Palavras do professor Geraldo Queiroz, ex reitor da UFRN, acrescentando que em março deste ano, estão completados 50 anos da graduação da primeira turma de jornalismo, na Faculdade Eloy de Souza, da qual ele fez parte com muito orgulho, e também 40 anos da regulamentação que consolidou o Curso de Comunicação da UFRN, criado no final de 1975, que a sucedeu.

A ideia é recordar e preservar a memória de tão importante faculdade para a formação de jornalistas e também criar cidadãos com um olhar mais crítico para a sociedade e sua evolução.

A partir do que está no livro “Memórias, Faculdade de Jornalismo Eloy de Souza”, será possível conhecer informações para se ter uma ideia da importância do legado da Faculdade de Jornalismo Eloy de Souza para a história, a educação e a cultura do Rio Grande do Norte.

Fim de tarde que promete um agradável reencontro de jornalistas, de hoje e das antigas, anfitrionados pelo gente do bem Temístocles Amador.

Recomendo! Com louvor!

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com

EU APOIO E QUERO: 10 MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO!

Conheça as propostas do Ministério Público Federal apoiadas pelos Ministérios Públicos de todo o Brasil, para combater e reduzir a corrupção de dinheiro público no Brasil.

10 Medidas

* Foto: Divulgação.

O projeto de lei, que recebe apoio popular, com as 10 Medidas já está na Câmara dos Deputados e, finalmente, recebeu a assinatura do presidente em exercício da Casa, Waldir Maranhão, para começar a tramitar.

Resultado da campanha nas mídias digitais com a hastag #assinaMaranhão.

Veja quais são as propostas:

1

Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação

Esta medida inclui a destinação de parte dos recursos de publicidade dos entes da Administração Pública (entre 10% e 20%) a programas de marketing voltados a estabelecer uma cultura de intolerância à corrupção e a conscientizar a população sobre os danos sociais e individuais causados por ela. Além disso, propõe o treinamento reiterado de todos os funcionários públicos em posturas e procedimentos contra a corrupção, o estabelecimento de códigos de ética claros e a realização de programas de conscientização e pesquisas em escolas e universidades. Para estimular denúncias de casos de corrupção, pretende-se garantir sigilo da testemunha. Por fim, propõe-se ainda, mecanismos que  garantam a celeridade dos processos, sempre que seu trâmite demorar mais do que a duração razoável.

2

Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos

A proposta torna crime o enriquecimento ilícito de agentes públicos, com previsão de pena de prisão variando entre três e oito anos. A medida pretende garantir que o agente público não fique impune mesmo quando não for possível descobrir ou comprovar quais foram os atos específicos de  corrupção praticados por ele. Ou seja, ainda que não tenha sido possível comprovar o crime de corrupção na origem, o fato de o agente público ter adquirido considerável patrimônio, absolutamente incompatível com seus rendimentos, poderá acarretar a responsabilização, pela evidência do enriquecimento ilícito.

3

 Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores

Prevê o aumento de pena para crimes de colarinho branco conforme o valor do dinheiro desviado. Assim, quanto maior o dano causado ao patrimônio público, maior será a condenação, que pode variar de 12 até 25 anos de prisão, quando o montante for superior a R$ 8 milhões. A ampliação da pena objetiva coibir a prática da corrupção, bem como evitar a prescrição dos crimes desta natureza. Além disso, atribui aos crimes de corrupção peso equivalente aos crimes praticados contra a vida, pois a corrupção mata ao desviar recursos públicos que deveriam garantir direitos essenciais como saúde, educação, saneamento básico e segurança.

4

Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal

São propostas 11 alterações pontuais no Código de Processo Penal (CPP) e uma emenda constitucional, a fim de dar celeridade à tramitação de recursos em casos do chamado “crime do colarinho branco”, sem prejuízo do direito de defesa do réu. Atualmente, brechas na lei permitem que a sentença final desse tipo de crime demore mais de 15 anos para ser proferida, diante de recursos e estratégias que protelam as decisões.

Essas alterações incluem a possibilidade de execução imediata da condenação quando o tribunal reconhece abuso do direito de recorrer; a revogação dos embargos infringentes e de nulidade; a extinção da figura do revisor; a vedação dos embargos de declaração de embargos de declaração; a simultaneidade do julgamento dos recursos especiais e extraordinários; novas regras para habeas corpus; e a possibilidade de execução provisória da pena após julgamento de mérito do caso por tribunal de apelação, conforme acontece em inúmeros países.

5

Celeridade nas ações de improbidade administrativa

 A medida propõe três alterações na Lei nº 8.429/92, que trata das sanções aplicáveis a agentes públicos que cometem atos de improbidade administrativa, para agilizar a tramitação de ações dessa natureza. Dentre as alterações estão a adoção de uma defesa inicial única (hoje ela é duplicada); a criação de varas, câmaras e turmas especializadas para julgar ações de improbidade administrativa e ações decorrentes da lei anticorrupção.

6

Reforma no sistema de prescrição penal

Um crime prescreve quando o julgamento final de um caso demora tanto tempo que a punição perde seu efeito. Nos crimes de colarinho branco, muitas vezes essa demora é utilizada como manobra de defesa, que interpõe recursos e outras medidas judiciais para retardar o andamento do processo e, assim, evitar a punição dos acusados.

A proposta consiste em promover alterações nos artigos do Código Penal referentes ao sistema prescricional, a fim de se evitar que decisões judiciais sejam postergadas e acarretem a prescrição. Também permite que a contagem do prazo da prescrição da pretensão executória comece a contar do trânsito em julgado (decisão de última instância, quando não cabe mais recurso) para todas as partes, e não apenas para a acusação, como é hoje. Além disso, são sugeridas alterações para se evitar que o prazo para prescrição continue correndo enquanto há pendências de julgamento de recursos especiais e extraordinários. Pretende-se, ainda, que as prescrições possam ser interrompidas por decisões posteriores à sentença e por recursos da acusação.

7

Ajustes nas nulidades penais

Esta medida propõe uma série de alterações no capítulo do Código de Processo Penal que trata de nulidades, com o objetivo de que a anulação e a exclusão da prova somente ocorram quando houver uma efetiva e real violação de direitos do réu. Busca-se evitar que o princípio da nulidade seja utilizado pela defesa para retardar ou comprometer o andamento do processo.

8

Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa dois

A medida pretende responsabilizar, de forma objetiva, os partidos políticos em relação a práticas corruptas, à criminalização da contabilidade paralela (caixa 2) e à criminalização eleitoral da lavagem de dinheiro produto de crimes, de fontes de recursos vedadas pela legislação eleitoral ou que não tenham sido contabilizados na forma exigida pela legislação.

9

Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado

Propõe mudanças na lei para que o dinheiro ilícito seja rastreado mais rapidamente, facilitando tanto as investigações como o bloqueio de bens obtidos de forma ilegal. Também cria a hipótese de prisão extraordinária para permitir a identificação e a localização de dinheiro e/ou bens provenientes de crime, evitando que sejam utilizados para financiar a fuga ou a defesa do investigado/acusado.

10

Recuperação do lucro derivado do crime

Esta medida traz duas inovações legislativas que acabam com brechas na lei para evitar que o criminoso alcance vantagens indevidas. A primeira delas é a criação do confisco alargado, que permite o confisco dos valores existentes entre a diferença do patrimônio declarado e o adquirido comprovadamente de maneira ilegal (como os obtidos através de crimes contra a Administração Pública e do tráfico de drogas). A segunda inovação é a ação civil de extinção de domínio, que possibilita que a Justiça declare a perda de bens obtidos de forma ilícita, independentemente da responsabilização do autor do ato infracional.

* Fonte: http://www.mppr.mp.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=6193

Aproveite e compatilhe esta informação com os seus familiares e amigos que também desejam o fim da corrupção com dinheiro público no Brasil.

Se cada um fizer a sua parte nesta luta contra a corrupção, breve teremos um país muito melhor para se viver.

É por aí!…

Casciano Vidal

PS. Para falar com o autor: cascianovidal@gmail.com